15 de outubro de 2018
foto - Agência Brasil

Mais uma prova de que Bolsonaro não representa mudança alguma

O ministro da Secretaria de Governo, responsável pela articulação política do governo ilegítimo de Temer, Carlos Marun (MDB), declarou nesta segunda-feira (15/10) que votará no presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno. Ele argumentou que vê semelhanças entre as propostas de Bolsonaro e medidas do governo atual.

“Neste momento, repito, vejo mais afinidade dos meus pensamentos em relação à pauta do Bolsonaro do que à pauta do Haddad. […] É uma agenda mais liberalista, uma agenda que defende privatizações, é a verdade. Essa é a verdade. É uma agenda que defende a reforma trabalhista. Tem vários aspectos de sinergia conosco, com relação ao que é pleiteado pelo governo [Temer]”, declarou.

Outras razões que Marun apontou para o seu apoio a Bolsonaro incluem ter se posicionado a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a defesa da redução da maioridade penal para 16 anos e a vontade de promover uma reforma da Previdência Social (com informações do UOL).