22 de agosto de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

Na Paraíba, 980.821 pessoas saíram da extrema pobreza entre 2011 e 2016. Esse número tem relação direta com políticas sociais inclusivas implantadas pelos governos do PT, com o objetivo de dar o mínimo de qualidade de vida para quem não tinha nada, nem mesmo direito à água.

Aliadas a esses programas sociais, obras de infraestrutura foram complementos necessários para o desenvolvimento do estado e da região. Uma das obras mais emblemáticas é a transposição do rio São Francisco. Grande legado do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a obra garantiu abastecimento seguro para 127 municípios da Paraíba, impactando positivamente a vida de 2,5 milhões de pessoas.

Antes das águas do Velho Chico inundarem os açudes do sertão paraibano, chegaram as cisternas. A distribuição de 53.224 cisternas para consumo resolveu o problema mais urgente dos sertanejos: a sede. Acabou a época de buscar água, de balde, longe de casa.

Numa segunda etapa, as 9.468 cisternas serviram para irrigar as plantações dos moradores. As cisternas chegaram junto de vários programas de incentivo à agricultura familiar e os alimentos cultivados pelos agricultores passaram a ser não apenas para consumo próprio, mas para gerar renda.

Até 2016, 11.015 famílias receberam recursos para fomento à produção agrícola. Só em 2015, 1.462.542 quilos de alimentos foram adquiridos de 623 agricultores familiares fornecedores, sendo 495 deles extremamente pobres. Pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), passaram 60.141 contratos no valor total de R$ 195.485.142.

Entre aqueles em situação de extrema pobreza que vivem em áreas de conservação ambiental, foram 1.323 famílias beneficiadas pelo Bolsa Verde. O programa funciona como um incentivo às comunidades para usar, de forma sustentável, os territórios onde vivem.

A transposição do Velho Chico garantiu abastecimento seguro para 127 municípios, impactando a vida de 2,5 milhões de pessoas. A combinação de políticas sociais inclusivas e grandes obras de infraestrutura implementadas na região criou condições para um novo salto no desenvolvimento do Nordeste.

Com grande número de pessoas que viviam abaixo da linha da pobreza, a Paraíba foi uma das grandes beneficiadas com os programas sociais criados pelos governos Lula. Para se ter ideia da importância, hoje, cerca de 39% da população depende do Bolsa Família, o que equivale a 524.956 famílias beneficiadas.

O governo golpista de Temer tem ameaçado o programa. Em 2017, mais de 326 mil domicílios deixaram de receber o benefício.

Plano de Governo

Para impedir que tudo o que foi feito pelo PT seja destruído, o presidente Lula vai ampliar o Cadastro Único como fonte de diagnóstico para a implementação de políticas sociais, conforme as demandas específicas de cada segmento, tendo como norte o combate às desigualdades sociais, de gênero, étnico-racial e territorial.

A política nacional de segurança alimentar e nutricional vai ser retomada e ampliada para combater a desnutrição infantil e promover a Soberania Alimentar.

O presidente vai continuar a promover a agricultura familiar com bases agroecológicas, sem o uso de agrotóxicos, aproximando produção e consumo, de modo a assegurar o acesso de todos a alimentos de qualidade.

Para Lula, um direito fundamental como a água deve pautar todas as políticas públicas referentes à segurança hídrica. Por isso, atuará fortemente para garantir a oferta de água para todos, com qualidade e regularidade, em sintonia com as metas do Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) de Água e Saneamento da ONU.