27 de agosto de 2018

Assim como todo o Brasil, o estado do Rio de Janeiro viveu uma verdadeira revolução na área da educação durante os 12 anos de governo do PT. Desde que assumiu a presidência da República, em janeiro de 2003, Luiz Inácio Lula da Silva promoveu uma política que priorizou a inclusão, com o ingresso recorde de jovens e adultos em todos os níveis de ensino do estado.

Um dos dados mais importantes diz respeito ao acesso de jovens e adultos ao ensino superior. As matrículas em cursos presenciais nas universidades do Rio de Janeiro passaram de 384,2 mil, em 2002, para 521,3 mil, em 2015. Criado em 2004 pelo então presidente Lula, o Programa Universidade para Todos (Prouni) possibilitou o acesso de 143,5 mil bolsistas ao ensino superior.

Com o objetivo de colocar cada vez mais brasileiros nos bancos universitários, Lula também facilitou o acesso ao crédito por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). Até março de 2016, 164,4 mil alunos ingressaram nas universidades após realizarem o financiamento no Estado do Rio de Janeiro.

Os investimentos não pararam por aí. Em 2007, Lula e Fernando Haddad, ministro da Educação à época, criaram o Programa de Apoio a Planos de Restruturação e Expansão (Reuni), aumentando consideravelmente o número de vagas nas universidades federais. O estado do Rio de Janeiro, por exemplo, foi contemplado com cinco novos campi, que garantiram a estudantes de municípios distantes da capital o acesso à educação pública, gratuita e de qualidade.

Os governos do PT foram responsáveis também pela ampliação do ensino técnico no país. O número de matrículas na rede federal mais do que duplicou, passando de 7 mil, em 2002, para 18 mil, em 2015. Antes de Lula, existiam apenas 8 escolas técnicas. Nos governos do PT, foram criadas 26 novas unidades em todo o estado do Rio de Janeiro.

A rede básica de ensino foi outra área que recebeu especial atenção nos governos de Lula e de Dilma. Com o Programa Proinfância, por exemplo, até março de 2016, 22 creches foram entregues à população fluminense e outras 93 estavam em obras. O investimento aprovado pela gestão do PT ultrapassava R$ 395,4 milhões; porém, no Brasil pós-golpe, todas as políticas públicas desenvolvidas pelos governos do PT na área da educação foram paralisadas ou desmontadas graças às medidas de austeridade fiscais implantadas pelo governo ilegítimo de Michel Temer.

Em dezembro do ano passado, o ex-presidente Lula visitou o Rio de Janeiro e disse que nunca viu o estado tão pobre e entristecido. Porém, ele garantiu que, com políticas adequadas, o Rio pode recuperar sua trajetória de desenvolvimento e voltar a ser feliz. Por isso, na área da educação, Lula assume em seu plano de governo o compromisso de retomar a expansão de matrículas no ensino superior e nos ensinos técnico e profissional. Ele também criará o programa Ensino Médio Federal, gerando polos de conhecimento, esporte e lazer e garantindo educação integral.