11 de dezembro de 2018
Foto: Filipe Araújo

As alegações finais evidenciam que a acusação não conseguiu fazer qualquer prova de culpa contra Lula e busca desconsiderar as provas de inocência apresentadas pela defesa do ex-Presidente.

É ignorado pelo documento, por exemplo, perícia apresentada pela defesa de Lula provando que os R$ 700 mil que os delatores da Odebrecht afirmaram terem sido destinados à reforma do sítio de Atibaia de Fernando Bittar foram, em verdade, sacados em favor de um dos principais executivos do grupo.

Lula não cometeu qualquer crime antes, durante ou após exercer o cargo de Presidente da República e um julgamento justo e imparcial irá reconhecer sua inocência.

Cristiano Zanin Martins, advogado do ex-presidente Lula