14 de abril de 2018

Foi com indignação que o PT, a CUT e os demais movimentos sociais receberam a notícia de que a justiça determinou multa de R$ 500.000,00 por dia, para os movimentos sociais e demais manifestantes, caso o acampamento “Vigília democrática Lula Livre” decida permanecer no entorno da sede da Polícia Federal em Curitiba.

Segundo Dr Rosinha, presidente do PT do Paraná, “a decisão é totalmente desproporcional e desequilibrada. Um absurdo jurídico. Trata-se de tentar cercear o livre direito a manifestação”.

“O Presidente foi preso de forma injusta em um processo viciado e cheio falhas. Lula é preso político. Lidera todas as pesquisas de intenção de voto. É mais um escândalo na vergonhosa escalada de perseguição contra Lula”, afirmou a presidenta do PT Gleisi Hoffmann.

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, essa é mais uma atitude antidemocrática na escalada autoritária e conservadora que tomou conta do país desde 2014 quando os que perderam as eleições deram início ao caos institucional e a onda de  intolerância e ódio contra quem defende direitos sociais e trabalhistas.

“Ė a justiça aproveitando a baderna em que o golpe jogou o Brasil para fazer política , tentar interferir no processo eleitoral criminalizando os movimentos populares e sindical e partidos progressistas”.

O mundo segue observando a crise brasileira. O jornal Le Monde criticou a cobertura da imprensa nacional que nem ao menos publicou a antológica foto de Francisco Proner, de Lula sendo carregado pelo povo em São Bernardo do Campo. 

“A decisão é claramente inconstitucional e arbitrária. O PT e a CUT tomarão todos as medidas jurídicas para garantir o livre direito a manifestação”. Afirmou o advogado Eugênio Aragão, que representará o PT e os movimentos sociais junto a justiça paranaense.