28 de agosto de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

A Campanha Lula Presidente chegou a Minas Gerais na noite desta terça-feira (28/08).

O comício realizado em Belo Horizonte exaltou o espírito libertário de Minas e destacou a responsabilidade que o estado tem de encerrar este momento nebuloso com a democracia no país. “Vocês sabem da nossa indignação com o golpe que depôs a presidenta Dilma. Vocês sabem de toda nossa indignação com quem prendeu arbitrariamente nosso presidente Lula. Vocês sabem da nossa indignação com essa política misógina e machista. Toda nossa indignação deve virar militância nos próximos 40 dias. Nós somos a esperança de um Brasil melhor”, afirmou Manuela d’Ávila, deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e representante do PCdoB na chapa Lula/Haddad para Presidência da República.

Dilma Rousseff, candidata ao senado por Minas Gerais, afirmou que esta eleição é diferente de todas as outras disputadas pelo Partido dos Trabalhadores: “Essa eleição tem dois lados. Do nosso lado, estão aqueles que não aceitaram o golpe, que levou o país a ter aumento da mortalidade infantil, o aumento do desemprego, que quer vender a Petrobras, que tirou o direito dos trabalhadores. Do outro, estão aqueles que nos golpearam, feito por perdedores que não conseguiram ganhar de nós nas urnas”, afirmou a presidenta.

Fernando Haddad, porta-voz e vice na chapa de Lula, ressaltou que a esperança de um Brasil melhor está viva e que já foi realidade: “O sonho de um Brasil mais justo incomodou algumas pessoas, que pensavam que um Brasil mais justo deveria ficar apenas na categoria de sonho. Mas o nosso presidente Lula pensou que um Brasil sonhado, poderia ser um Brasil verdadeiro”.

Fernando Pimentel, candidato à reeleição ao governo de Minas Gerais, disse que esperança não se prende: “Nós não perdemos a esperança. Não adianta prender e tentar calar a nossa voz. A nossa luta tem nome e se chama Lula Livre”.