Foto: Divulgação

A caravana do ex-presidente Lula pelo Sul do país acaba de ser alvejada por ao menos três tiros enquanto percorria - sem escolta policial - o trecho entre as cidades de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no Paraná. Dois ônibus foram atingidos, ninguém foi ferido. 

O Paraná foi o único estado da federação de todos os percorridos pela caravana a não fornecer uma escolta policial para a comitiva dos ônibus.

"Se tem uma pessoa que fez muitas viagens nesse país fui eu. Já percorri o Brasil inteiro, 91 mil km de barco, trem e ônibus. Já fiz campanha política em todo o território nacional e vocês nunca ouviram falar de violência. O que eu estou vendo agora é quase o surgimento do nazismo. O que estamos vendo agora não é política, porque se quisessem derrotar o PT, iriam para as urnas. Se eles acham que fazendo isso vão nos assustar, estão enganados. Vai nos motivar. Não podemos permitir que depois do nazismo esses grupos fascistas possam fazer o quiser. Esperamos que quem está no governo estadual e federal, seja golpista ou não, assuma a responsabilidade. Atacaram o ônibus que estava a imprensa. Se querem brigar, briguem comigo nas urnas. Mas vamos respeitar a democracia, a convivência na diversidade", declarou o ex-presidente ao saber dos disparos ocorridos na tarde desta terça-feira (27). 

 

Voltar para o topo