03 de setembro de 2021

O Projeto de Lei Orçamentária para 2022 (PLOA 2022), apresentado na terça-feira (31) pela equipe de Paulo Guedes, é o retrato perfeito do descaso que Jair Bolsonaro tem com os brasileiros. Em plena pandemia e período de fome, o governo decidiu retirar ainda mais recursos da Saúde, não dar aumento real no salário mínimo e ainda atacar o Bolsa Família.

É difícil apontar qual é o maior absurdo do PLOA, mas um forte candidato certamente é o orçamento para a Saúde. O projeto, pasmem, prevê R$ 44 bilhões a menos para a área do que o montante autorizado em 2021, que já era menor que o de 2020. Bolsonaro e Guedes repetem o crime de desidratar a área justamente quando o Brasil vive a maior crise sanitária da história.

Para o orçamento de 2021, o governo não só reduziu o orçamento como não previu recursos específicos para combater a Covid-19. Depois, justificou-se dizendo que não havia previsto o agravamento da pandemia entre o fim do ano passado e o começo deste. Agora, volta a ignorar os avisos da ciência, que indica um provável aumento de casos com a circulação da variante Delta e prevê que a campanha de vacinação precise ser mantida no ano que vem. É muito desprezo pela vida dos brasileiros.