26 de outubro de 2018

Os números não mentem, dizem os sábios. Ao contrário do candidato Jair Bolsonaro. E, nesse caso, as duas verdades são incontestáveis.

As agências de checagem Lupa e Aos Fatos e o projeto Fato ou Fake tiveram de desmentir pelo menos 104 fake news contra Fernando Haddad, Manuela D’Ávila e o PT durante os 70 dias que marcaram a campanha eleitoral em 2018.

Levantamento exclusivo do site Congresso em Foco mostra que, ao todo, as notícias falsas exigiram, até esta sexta-feira (26/10), 123 checagens de boatos diretamente ligados às duas candidaturas à presidência presentes no segundo turno em 2018.

De acordo com a notícia, publicada nesta sexta-feira, “em cerca de 70 dias, desde o início da campanha eleitoral, as iniciativas de checagem de fatos tiveram de desmentir mais de 100 boatos contra o candidato à presidência Fernando Haddad (PT) e seu partido” desde o dia 16 de agosto.

A criatividade (e irresponsabilidade) dos responsáveis pelos boatos impressiona. Com o total de 123 checagens de notícias falsas no período, os projetos de checagem desmentiram uma média de quase dois boatos por dia (1,76) até esta quinta-feira (25).

Desses 123 casos de notícias falsas, 19 se referiam a Bolsonaro. Ou seja, para cada mentira contra Bolsonaro, houve cerca de 5,47 mentiras contra Haddad.