21 de junho de 2022
Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje a ideia do governo de aprovar no Congresso Nacional uma CPI para investigar a Petrobras por causa dos preços dos combustíveis.  De acordo com ele, a CPI é tentativa do presidente Jair Bolsonaro de transferir para outros a responsabilidade da incapacidade de gestão.

 “Não temos um governo normal. Estão tentando aprovar a CPI da Petrobras, um absurdo porque a primeira coisa que ele tenta fazer é jogar a responsabilidade da sua incapacidade, diuturnamente, em cima dos outros”, disse hoje (21), durante ato de lançamento das diretrizes do governo da chapa Lula-Alckmin e da plataforma de recebimento de sugestões para o programa.

Lula afirmou que o atual presidente, se quisesse, poderia resolver com uma canetada a questão dos preços, já que a política do Preço de Paridade Internacional (PPI), que deixa os combustíveis dolarizados no Brasil, foi criada assim, sem ouvir a Câmara e o Senado.

“O Bolsonaro poderia, com uma canetada, obrigar o presidente da Petrobras a reduzir o preço. Se tivesse qualquer dúvida, poderia reunir o Conselho de Política Energética, o presidente da Petrobras, o Conselho da Petrobras e tomar a decisão de que era preciso reduzir o preço em benefício da sociedade brasileira. Não, mas ele faz muita bravata e mantém o preço alto porque não quer brigar com os acionistas, que ficam com o lucro que a Petrobras está tendo e que é exorbitante”, afirmou.

O ex-presidente afirmou que a atuação faz parte de uma estratégia privatista, que está esquartejando a Petrobras, com a venda da BR, e que resultou também recentemente na venda da Eletrobras. “Vão tentar criar todas as confusões possíveis para tentar fazer tudo para ver se conseguem propor a privatização da Petrobras ainda esse ano, como fizeram, da forma mais vergonhosa possível, com da Eletrobras”, afirmou.

Lula destacou que, nos governos petistas, a prioridade não eram os acionistas, mas transformar a petroleira numa grande empresa de energia e usar parte do lucro para reinvestimento e para melhorar a vida do povo.

Cortina de fumaça

Em entrevista coletiva, os representantes dos partidos aliados que ajudaram a elaborar as diretrizes reafirmaram a oposição à atual política de preços da Petrobras e à ideia da CPI.

O senador Randolfe Rodrigues, da Rede, disse que a CPI proposta pelo governo não resolve a questão dos preços, além de ser uma ‘cortina de fumaça’ e velha tática de desviar o foco do essencial, para não assumir a responsabilidade que tem. “É mais alegoria e adereço do que samba enredo. O Parlamento tem outras prioridades”.

Aloizio Mercadante, presidente da Fundação Perseu Abramo, disse que a Petrobras precisa recuperar a capacidade de investir e compartilhar com a sociedade sua vantagem competitiva. “Defendemos a Petrobras como empresa pública. Foi essa empresa pública que descobriu as reservas do pré-sal”, lembrou.