16 de novembro de 2021
Foto: Ricardo Stuckert

A Conferência de Alto Nível da América Latina discutiu nessa segunda-feira (15), no Parlamento Europeu, a urgência do combate à desigualdade social e a agenda do bloco social democrata nesse sentido, principalmente no hemisfério sul. Entre os participantes, o ex-primeiro-ministro da Espanha José Luis Rodríguez Zapatero, disse ao discursar que este século 21 deve ser o da igualdade, com paz e distribuição de riqueza, e destacou o papel do ex-presidente Lula na luta pela inclusão social.

“Lula é meu professor, é o mestre de como reduzir a desigualdade. Por isso, homens como o Lula serão os que vão escrever o século 21, o século da  igualdade”, disse Zapatero. O espanhol destacou que teve a oportunidade de ser contemporâneo de Lula na presidência e sua postura o chamou atenção. 

Para Zapatero, Lula é o líder político contemporâneo que mais fez em prol dos pobres.”Foi um homem que falou aos pobres. Quem viu isso na política!? Um líder político que fala mais dos pobres, da pobreza, da injustiça, da miséria, da desigualdade…É o líder político contemporâneo que mais fez em prol dos pobres para abolir a pobreza, este é o presidente Lula”, afirmou.

Em seu discurso, Zapatero parabenizou a organização e falou da importância da União Européia e do Parlamento Europeu promoverem encontros para ouvir lideranças da América Latina. Ele propôs que a União Europeia promova um acordo de recuperação para a América Latina, uma espécie de ‘plano global pós pandemia’ para o continente, unindo esforços de governos, blocos e organismos internacionais.

O ex-primeiro-ministro defendeu ainda um processo de integração e de união latinoamericana. Para ele, esta união será a maior frente contra a pobreza, o golpismo, e em prol da liberdade e das democracias. Segundo Zapatero, é neste sentido que a possibilidade de Lula voltar a governar o Brasil deixa esperançosa a comunidade política internacional. Se dirigindo a Lula, Zapatero disse: “Você, que tem essa grande autoridade moral no continente, é preciso voltar a colocar na ordem do dia os consensos, o diálogo para solução pacífica dos conflitos.

Ao final do seu discurso, Zapatero disse estar emocionado em reencontrar o ex-presidente no Parlamento Europeu. Ele lembrou a trajetória do metalúrgico e sindicalista, “um homem que lutou a vida inteira. “Aprendi muito com ele, aprendi que o mais importante na vida é trabalhar pelos outros e nunca renunciar e ser corajoso. Se não tivesse sido um metalúrgico corajoso não teria tirado 30 milhões de pessoas da pobreza, não teria se colocado assim na liderança mundial, como está”, disse o espanhol. 

Zapatero lembrou que visitou Lula pouco tempo depois dele ter deixado a prisão política e reafirmou que sempre soube da sua inocência. “Eu sempre soube que ele era inocente, eu reconheci isso”, declarou.

Veja trechos do discurso de Zapatero:

Conferência 

A Reunião de Alto Nível,  intitulada Juntos durante a crise para uma nova agenda progressista, foi organizada pelo Grupo Social Democrata (Grupo S&D) do Parlamento Europeu. A presidente do grupo, Iratxe García Pérez, fez a abertura da reunião e destacou que nenhum país do mundo pode viver isolado. “Juntos estamos trabalhando contra a pandemia e pelo mundo em muitas causas”.  

Entre os oradores, também estiveram: Claudia Sheinbaum Pardo, chefe do Governo da Cidade do México;  Maria-Manuel Leitão Marques, coordenadora da EuroLat (Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana) e seu co-presidente, Javi López.