10 de abril de 2019

O brasileiro mostra pessimismo profundo com o Brasil. Segundo pesquisa Vox Populi, encomendada pela CUT, 70% dos entrevistados estão insatisfeitos com os rumos do País. De acordo com levantamento, que será analisado nesta quarta-feira, 10 de abril, pelo conselho político do PT em Brasília.  57% dos entrevistados avaliam que o Brasil está no caminho errado.

Na opinião de 55%, o ex-presidente Lula foi condenado e preso por motivos políticos. Entre os entrevistados, 49% afirmam que Sérgio Moro condenou Lula para impedir que ele fosse candidato a presidente. A amostra da Vox corresponde praticamente ao resultado das eleições de 2018: 39% declararam ter votado em Bolsonaro no segundo turno e 34% em Fernando Haddad, do PT – nas urnas, foram 39% a 32%. Se as eleições fossem hoje, no entanto, haveria um empate técnico, com 39% para Bolsonaro e 37% para Haddad.  

“Os dados mostram que o povo brasileiro entende que a situação política e econômica do Brasil é ruim por causa do governo”, diz a presidenta nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR). Entre os eleitores de Bolsonaro o grau de frustração chega a 29%, que avaliam  como errado o caminho que o país está tomando.

Mesmo entre os apoiadores de Bolsonaro, há descrença e insatisfação: 50% dos apoiadores do presidente acreditam que o custo de vida vai piorar. E nada menos que 73% dos entrevistados é contra as mudanças nas leis trabalhistas. A pesquisa mostra que 68% são contrários ao fim dos reajustes do salário mínimo corrigido acima da inflação do ano anterior, assim como acabar com o Benefício de Prestação Continuada (BPC). As duas propostas estão entre as principais bandeiras do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Nada menos que 62% dos entrevistados acreditam que as chances de se aposentarem vão piorar no governo Bolsonaro. E 51% responderam que não conseguirão mais ter acesso a saúde pública e atendimento médico de qualidade. A liberação de armas para a população, uma das promessas da campanha de eleitoral do presidente, vai aumentar a violência para 61% dos entrevistados.

O principal projeto de Bolsonaro, a reforma da Previdência, que não foi debatida na campanha eleitoral, e rejeitada por 65% d população. 73% são contra o aumento da idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres; 81% são contra o aumento para 40 anos do tempo de contribuição; 70% ou mais são contra as restrições aos professores, trabalhadores rurais, a redução das pensões para idosos e viúvas e 69% são contra o sistema de capitalização.

A privatização da Petrobrás é rejeitada por 60% dos pesquisados, enquanto a venda do pré-sal, outra bandeira do governo Bolsonaro, é repudiada por 61%. Entre os que tiveram conhecimento da viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos, a maioria (40%) afirma que ele defende mais os interesses dos EUA que os do Brasil.

“O povo rejeita as principais políticas de Bolsonaro, assim como vê com desconfiança os projetos que o governo apresentou ao Congresso Nacional”, opina Gleisi Hofffmann.

A possibilidade da participação do Brasil em um conflito com a Venezuela, hipótese cogitada pelo próprio Bolsonaro na entrevista concedida à rádio Jovem Pan, na segunda-feira, 8, é rechaçada por 79% dos entrevistados pela Vox Populi. Somente 14% apoiam a ideia de o país participar de uma guerra para derrubar o governo Maduro.

A pesquisa mostra que o presidente Jair Bolsonaro tem avaliação negativa de 30% da população brasileira. O desempenho dele é considerado positivo por apenas 26% e 39% avaliam como regular sua performance; 5% não souberam responder. Lula continua sendo considerado o melhor presidente do Brasil em todos os tempos, na opinião de 48%. Depois de um ano de prisão, 65% dos brasileiros afirmam que ele fez mais coisas certas do que erros.

Um terço dos entrevistados expressa um sentimento anti-Bolsonaro, enquanto 34% se consideram neutros e outros 34% se apresentam como pró-Bolsonaro. A imagem de Bolsonaro também divide o país: 53% não o consideram humilde e 51% antidemocrata. Metade dos entrevistados o veem como um líder com credibilidade e 45% como bom político. Para 40% das pessoas que participaram da pesquisa, Bolsonaro defende mais os interesses dos Estados Unidos do que os do Brasil.

A pesquisa foi realizada entre 1o. e 3 de março, ouvindo 1.985 pessoas em 120 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2,2%, com intervalo de confiança de 95%.

Baixe aqui a pesquisa