02 de setembro de 2018

Em entrevista à Gazeta Digital em Toledo (PR), a presidente do PT Gleisi Hoffman denunciou a gravidade do que está acontecendo com a Justiça brasileira, que não trata com isonomia os processos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela se referiu diretamente  ao julgamento da candidatura de Lula, que acontece nesta tarde (31) no TSE – Tribunal Superior Eleitoral.

“Esse processo não poderia estar sendo julgado hoje, porque Lula tem o direito a ter alegações finais e esse direito foi retirado, como em tantas outras vezes”, disse Gleisi.

A presidente do PT explicou que Lula está sendo tratado diferente, porque a defesa teria cinco dias para as alegações finais, como foi garantindo ao candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

O PT apresentou a defesa às 23h da noite desta quinta-feira (30/8), reunindo vários documentos, entre eles a determinação da ONU sobre o direito de Lula ser candidato. “O Tribunal movimentou o processo às 3 horas da madrugada para colocar na pauta de sessão extraordinária desta tarde. De novo Lula está sendo perseguido.”, explicou Gleisi.

Gleisi reiterou que, mais uma vez, repetem-se as injustiças que já foram cometidas nos julgamentos de primeira e segunda instâncias do ex-presidente Lula. “É muita violência, mas o povo está ciente disso, porque as pesquisas indicam que 40% votam em Lula para presidência”, finalizou.