22 de outubro de 2014

Cerca de 66 milhões de crianças vão assistir às aulas com fome todos os dias nos países em desenvolvimento. Aproximadamente 23 milhões delas vivem na África. Em vários países, a alimentação escolar é a única refeição que as crianças fazem regularmente.

Felizmente, o Brasil é uma referência positiva neste assunto e foi usado como exemplo em um importante fórum realizado no início deste mês, o “Fórum Global de Nutrição Infantil”. Ele ocorreu entre 29 de setembro e 3 de outubro, em Joanesburgo, na África do Sul.

O Fórum foi realizado em parceria com o Centro de Excelência contra a Fome do “Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas”, o PMA, com os apoios dos governos do Brasil e da Etiópia.

O PMA é a maior agência humanitária do mundo. A cada ano ele fornece alimentos a 80 milhões de pessoas em 75 países. Com escritórios em mais de 80 países, as ações do PMA ajudam pessoas incapazes de produzir ou obter alimento suficiente para si e suas famílias.

O Fórum Global é o mais importante evento do mundo sobre alimentação escolar e se reúne desde 1997. 

O ex-presidente Lula foi convidado para participar do evento e apresentar os resultados do Brasil, que serviu como uma das referências para os debates.

Lula não pôde estar presente em função da campanha eleitoral, mas enviou uma mensagem em vídeo para os participantes.

Desde 2009, por uma resolução do governo Lula, as escolas da rede pública de educação básica brasileira passaram a usar produtos da agricultura familiar nas refeições oferecidas aos seus alunos.

Agora, no mínimo 30% do valor enviado a estados e municípios devem ser utilizados obrigatoriamente na aquisição de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar com dispensa de licitação.

Veja a íntegra do comentário de Celso Marcondes, no “seu Jornal”, da TVT, a TV dos Trabalhadores. O “Seu Jornal” vai ao ar todos os dias às 19 horas: