13 de maio de 2022

Nesta sexta (13), o Partido dos Trabalhadores entrou com representação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o ex-procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol , o portal Terra Brasil Notícias e o deputado federal Paulo Martins (PL) por propaganda eleitoral antecipada. Os três postaram vídeo (recheado de informações mentirosas) com propaganda negativa contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Denúncias relacionadas a esse vídeo chegaram via Verdade na Rede! Siga Denunciando!

Deltan Dallagnol, o ex-procurador, sempre se utilizou de sua posição para fazer política e agora é pré-candidato a deputado federal pelo Podemos. Ele já foi condenado pela Justiça a pagar indenização por danos morais a Lula devido ao famigerado e ultrajante power point que o alçou à fama. Não aprendeu a lição e volta reiteradamente a difamar Lula, com base em informações já comprovadamente falsas. Dessa vez, Dallagnol postou em sua conta no Instagram um vídeo de ataque direto a Lula, incorrendo em propaganda eleitoral antecipada.

O vídeo altera o clipe de regravação do Jingle Lula lá, colando trechos de depoimentos de testemunhas em audiência da Lava Jato, na qual Dallagnol atuava como procurador da República, omitindo o fato de que Lula foi inocentado pela Justiça brasileira nos processos judiciais a que se referem os trechos utilizados. Desinformação e fake news a serviço de propaganda eleitoral antecipada. O vídeo também descontextualizar trechos de falas de Lula para influenciar negativamente o eleitor.

De acordo com a representação, assinada pelos advogados Eugênio Aragão e Cristiano Zanin:

O intuito da mensagem que os Representados veicularam é propagar inverdades camufladas de mera crítica política, eis que a manipulação realizada omite a informação de que nos processos judiciais referidos no vídeo o Senhor Luiz Inácio Lula da Silva foi inocentado pela Justiça Brasileira
.

Propagandas eleitorais só são permitidas a partir de 16 de agosto. Dessa maneira, a manifestação política com intuito eleitoral em detrimento de futuro candidato configura propaganda irregular. Nesse caso, Dallagnol e os demais representados se valeram de processos já extintos – e em que não houve condenação – para enganar o eleitor e macular a imagem de Lula.

Mais grave ainda é o fato de Deltan ter atuado como procurador da República nos depoimentos que coloca no vídeo, na intenção de gerar no eleitor a impressão de que Lula cometeu irregularidades em seus mandatos e para insinuar que houve condenações oriundas dos depoimentos destacados e sobrepostos ao jingle de 89.

Também compartilharam o vídeo o deputado federal pelo Paraná Paulo Martins (PL), pré-candidato de Bolsonaro ao Senado e notório disseminador de fake news contra Lula,e o portal Terra Brasil “Notícias”, veículo bolsonarista que emula sites noticiosos tradicionais.

O Terra Brasil, fundado por casal que morava, até 2021, em apartamento financiado pelo Minha Casa Minha Vida e recebeu Auxílio Emergencial do governo, já foi o site mais compartilhado por grupos bolsonaristas do Whatsapp e Telegram, segundo estudo da UFRJ. O site já sofreu sanções judiciais por produzir e compartilhar fake news, mas segue espalhando mentiras.

A representação judicial do PT, endereçada ao presidente do TSE, Edson Fachin, solicita que sejam retiradas do ar as postagens do vídeo e que os representados sejam condenados a pagamento de multa, no valor máximo previsto por lei, dado o elevado número de visualizações e o amplo alcance das publicações irregulares.

Denuncie Fake News, ameaças e propaganda irregular para o Verdade na Rede

Não podemos deixar que Bolsonaro e seus apoiadores nos afoguem em mentiras. Viu alguma fake news? Vá até a página lula.com.br/verdadenarede e busque o desmentido! No agregador de vacinas, você encontrará inclusive notícias de agências de checagens de fatos.

Não achou o desmentido? Denuncie diretamente via formulário no site ou via whatsapp. Participe de nossos grupos de Whatsapp de agentes da Verdade.

Você também pode denunciar ameaças a Lula e a membros do PT e propaganda eleitoral irregular pelos mesmos canais!