07 de agosto de 2018

O princípio da igualdade de condições na disputa eleitoral garante que o ex-presidente Lula, como candidato, tenha os mesmos direitos que os seus adversários, inclusive na participação em debates e entrevistas. Assim, o Partido dos Trabalhadores (PT) vai usar todos os meios legais para garantir a presença de Lula no debate da TV Bandeirantes, a ser realizado no próximo dia 09/08. Caso a justiça não assegure este direito ao candidato, o partido requer que a transmissora  mantenha uma cadeira vazia representando sua ausência forçada ao debate.

Não seria a primeira vez que um espaço destinado a Lula em debates seria deixado vago. Em 2006, a Rede Globo não apenas  manteve o púlpito destinado ao então candidato à reeleição, mesmo com sua ausência, mas também permitiu que os outros candidatos fizessem perguntas a ele em todos os blocos do programa. A Band também várias vezes usou lugares vazios para indicar quando um candidato não comparece ao debate.

Ao contrário do que noticiou a grande imprensa, o agravo judicial para que Lula participe do debate da Band não foi  rejeitado pela justiça.  A juíza Bianca Arenhart, que despachou nesta segunda-feira (6/8) sobre o assunto, não julgou o mérito da matéria: por considerar se tratar de novo pedido em nova condição (a de Lula como candidato oficial), a juíza não emitiu parecer sobre o mérito da matéria e remeteu o pedido de volta à primeira instância. O PT vai recorrer dessa decisão.