18 de outubro de 2018

“Lula está animado com o processo eleitoral. Ele nos disse que hoje ficou clara a fraude de porão que é Bolsonaro. Ele foi construído através da mentira, nos subterrâneos das redes sociais, através de dinheiro de caixa ilegal. É um embuste que está levando ao erro milhões de pessoas, exatamente por esse esquema todo que foi montado”, relatou a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, após visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (18/10), ao lado do jornalista Franklin Martins.

Segundo Gleisi, Lula disse que, “agora, se tem a oportunidade de desmascarar de uma vez por todas o que é esse projeto e quem é essa pessoa que não tem propostas, não diz a que veio e não tem o que oferecer ao Brasil”.

Lula ainda passou um recado a Fernando Haddad para que ande de cabeça erguida, porque o PT tem o que mostrar para o Brasil. “Quando governamos este país, deixamos um legado, deixamos emprego e renda aos trabalhadores, fizemos programas que melhoraram a vida das pessoas. É isso que está em disputa hoje no país”.

A presidenta do PT disse ainda que Lula enfatizou que todos podem ir para as ruas fazer o enfrentamento – não tem que ter medo, não tem que temer. Para Lula, “nós vamos ganhar esta eleição discutindo verdadeiramente com o povo, e não com embuste, como foi feito até agora nessa maquinação que levou o candidato da fraude de porão ao segundo turno, sem ter efetivamente um apoio popular, pelas propostas ou pelo projeto que ele tem”.

PT entra com ação na Justiça contra caixa 2
Gleisi Hoffmann explicou também que o PT entrou com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral junto ao TSE sobre a denúncia de caixa 2 na campanha de Jair Bolsonaro. Segundo ela, se a ação chegar às suas consequências finais, levará à inelegibilidade do candidato do PSL. “É uma ação por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação”, explicou.

O PT também pediu medidas cautelares, com base em resolução do TSE, para que cessem as práticas ilegais, que incluem lavagem de dinheiro e recursos ilegais sendo colocados na campanha de Bolsonaro, o que configura caixa 2 e, portanto, fraude eleitoral.

Para Gleisi, a votação em Bolsonaro não foi fruto de uma onda de convencimento do eleitorado pelas causas, pelas propostas ou pelo projeto do candidato, mas foi construída nos subterrâneos da internet com uma fábrica de mentiras e ataques falsos ao PT, ao Haddad e ao Lula, induzindo a população a ter um entendimento errado do que estava acontecendo.

Bolsonaro se refugia no porão
O jornalista Franklin Martins falou que hoje é um dia muito interessante, porque ele mostra claramente, a partir da reportagem da Folha de S.Paulo, que o candidato que foge dos debates se refugia no porão.

Franklin explicou que, enquanto Haddad quer o debate para que o eleitor possa tomar sua decisão, o outro foge dos debates, “não quer discutir e usa subterfúgios de dinheiro não declarado, com recursos e ferramentas que, na verdade, tentam manipular o eleitor. Ele não quer o debate público, aberto e transparente. Ele quer uma manipulação”.