22 de agosto de 2018

“Lula Livre, Lula inocente, Lula presidente” foi o grito de cerca de 10 mil pessoas que tomaram as ruas do centro de Aracaju, em uma caminhada que teve à frente o vice-presidente de Lula, Fernando Haddad, nesta quarta-feira (22/8).

Assim como aconteceu no dia anterior, em Salvador, o povo foi às ruas de forma contagiante e emocionada demonstrar que quer Lula presidente. Ao final da caminhada, Haddad e Manuela D’Ávila participaram de ato com políticos do estado, entre eles o candidato ao Senado de Sergipe, Rogério Carvalho, e o governador Belivaldo Chagas.

Fernando Haddad falou sobre o fato de a imprensa não estar mostrando a campanha de Lula: “vocês sabem que a Globo não cobre a campanha do Lula. Eu queria perguntar para a Globo se isso aqui que está acontecendo em Aracaju pode passar no Jornal Nacional. O nosso candidato está quase ganhado no primeiro turno, porque os adversários não têm projeto para concorrer com Lula”.

Ao se dirigir à multidão, Manuela disse: “São 47 dias em que vocês têm de ser a cara, a força, que vocês têm que ser Lula. Vocês são Lula Livre e juntos vamos fazer o Brasil feliz de novo. Viva Lula, viva Haddad, viva o povo brasileiro”, disse.

“É isso que a gente quer, a gente quer Lula lá”, diz Haddad

Emocionado, Fernando Haddad enfatizou que o povo está na rua: “começamos a campanha do presidente Lula pondo medo nos adversários”. Ele explicou que Lula disse a todo o país que, se até dia 15 de agosto apresentassem uma única prova contra ele, ele não registraria sua candidatura. “Mas o dia 15 chegou e eles não conseguiram provar nada, reviraram a vida do presidente, da sua família e não apresentaram nada”.

Então, disse Haddad, a candidatura de Lula foi protocolada e no dia seguinte a ONU mandou um recado para o Brasil: “nenhuma autoridade do Brasil pode impedir Lula de ser candidato, porque isso é cassar a soberania popular”.

“Esse homem que está encarcerado injustamente há quase cinco meses é o único que mobiliza multidão e, como ele disse em São Bernardo, podem prendê-lo, mas jamais vão prender o projeto que eu represento”, relembrou Haddad.

Sobre o plano de governo, Haddad falou da necessidade de gerar emprego, especialmente no estado em que os investimentos da Petrobras estão diminuindo consideravelmente. “Precisamos eleger Lula, porque, com ele, a Petrobras vai voltar”, disse.

O candidato à vice-presidência garantiu que, com Lula, haverá mais oportunidades de acesso à educação e ao trabalho: “os governos do PT geraram 20 milhões de empregos e esse governo que está aí deixou de fazer exatamente isso”.

Ao final, Haddad reafirmou que Lula é o único candidato que tem compromisso com o Brasil e com a soberania popular. “Lula é grande e nós vamos ter que ser ainda maiores para, no dia 7 de outubro, dar uma resposta a essa crise. É isso que a gente quer, a gente quer Lula lá.”