21 de março de 2022

Há mais de três anos, desde que chegou à presidência da República, Jair Bolsonaro tenta, de todas as formas, roubar a autoria das obras da transposição do Rio São Francisco. A ideia de integrar o Velho Chico para enfrentar a seca no Nordeste tem quase 200 anos, mas foi só com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2007, que ela ganhou corpo e saiu do papel.

Bolsonaro, por motivações meramente eleitoreiras, pois já deixou escapar em diversas ocasiões o desprezo pelo Nordeste, tenta enganar o povo. Mas o povo não se deixa enganar e reconhece quem sempre trabalhou pelas suas causas.

Lula e Dilma executaram 88% do empreendimento, que só não foi concluído na gestão petista por conta do golpe de 2016. Apesar de reivindicar a paternidade da obra, Bolsonaro foi responsável por apenas 7% dela.

Vale lembrar que, em 19 de março de 2017, Lula e Dilma foram à inauguração popular da transposição do São Francisco, em Monteiro, na Paraíba. Naquele momento, todo o Eixo Leste estava concluído, e faltava menos de 5% para a conclusão do Eixo Norte.

A “obra” de Bolsonaro: religamento de bomba e valores inflados

Em 2019, a fábrica de fake news e desinformação bolsonarista produziu uma série de posts enaltecendo a atuação do presidente na condução das obras. O título de um dos vídeos diz que Bolsonaro desbancou Lula e colocou projeto para funcionar. Acontece que o contexto do vídeo é o religamento de uma bomba, que leva as águas aos municípios paraibanos de Monteiro e Campina Grande, e que já estava em funcionamento em 2017. Bolsonaro abriu a torneira, apenas.

Em outro post mentiroso consta que Bolsonaro teria investido R$ 1,4 bilhão na transposição. No entanto, segundo o Ministério de Desenvolvimento Regional, o valor investido foi R$ 582 milhões, menos da metade do que foi informado. A pasta informou ainda que 40% desse valor foi destinado à manutenção e não com obras efetivamente.

CGU

A Controladoria-Geral da União (CGU) publicou, em novembro de 2017, relatório que atesta que naquele ano faltavam menos de 3% para a finalização da transposição. Mais de um ano antes do governo Bolsonaro, todo o Eixo Leste, de 217km de extensão, estava concluído. E só faltavam 4,6% para finalizar o Eixo Norte, de 260km. 

Imagens fora de contexto

Desesperado pelos votos do eleitorado do Nordeste, e diante da ausência de qualquer política ou obra importante na sua gestão, o presidente reivindica autoria de obras prontas.

Em 2020, conteúdo replicado por bolsonaristas creditava a Jair obra inaugurada em 2015 pela presidenta Dilma Rousseff. O post, em formato “antes e depois”, comparava trechos diferentes da transposição. De um lado, imagem do trecho construído pelo PT com foto de Bolsonaro. De outro, imagem de obra abandonado atribuída ao partido.

Outro post mostra foto tirada em 2017 de um açude que abastece Fortaleza (CE) como se fosse recente e retratasse uma obra concluída pelo governo Bolsonaro. “Cabra da peste prometeu cumpriu, esse é meu presidente”, diz o texto. O “cabra da peste” é o mesmo homem que ofende reiteradamente o povo nordestino.

Ladrão de obras

A tentativa de apropriação de feitos de outros governos por Jair Bolsonaro alcança todas as áreas. O governo que nada fez pelo Brasil, divulgou, em 2020, uma lista de 33 inaugurações que faria no segundo semestre daquele ano.

Foi constatado, no entanto, que 25 obras da lista foram planejadas pelos governos petistas, 2 começaram a ser executadas no governo do golpista Michel Temer e apenas 6 saíram do papel no atual governo, mas já eram discutidas nas gestões passadas.

Das 18 obras rodoviárias contidas na lista falseada, apenas uma foi inteiramente conduzida pelo Ministério da Infraestrutura de Jair Bolsonaro. Todas as outras fizeram parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criado pelo governo do PT em 2007.

No pacote de mentiras de Bolsonaro, tem ainda a substituição de programas de sucesso por projetos que assistem menos pessoas. Ele acabou com o Programa Minha Casa, Minha Vida, que até 2014 já tinha entregado 1,8 milhão de unidades residenciais, e criou o Casa Verde Amarela. O mentiroso afirma que ampliou o programa habitacional petista, mas na realidade cortou 98% das verbas de habitação.

Em busca de votos, o presidente substituiu o Bolsa Família – maior programa de transferência de renda do mundo – implementado por Lula há 18 anos, por um novo programa que vai deixar 29 milhões de famílias desamparadas.