16 de agosto de 2021

Na noite desta segunda (16), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com representantes de movimentos sociais e povos indígenas em Recife (PE). O encontro contou com apresentações culturais de grupos de maracatu e outras manifestações culturais de Pernambuco. Lula falou sobre os motivos para golpe de 2016 e para sua prisão: política de inclusão social, o Pré-Sal e sua regulamentação. Falou sobre as agressões sofridas pelos militantes, setores progressistas e movimentos sociais. “É por isso que eu resolvi enfrentar meus adversários quando era mais fácil ceder”, disse Lula. O ex-presidente afirmou que “quando se nega a política, o que vem depois é o fascismo”. Lula falou sobre agricultura familiar, combate à fome, indústria naval e a destruição de Bolsonaro.

“Um ser humano que tem uma causa só para de lutar quando morre”, disse Lula.