01 de setembro de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

Foto: Ricardo Stuckert

Para a multidão que tomou a Praça Dominguinhos, no centro de Garanhuns (PE), Fernando Haddad, candidato à vice-presidência na coligação “O povo feliz de novo”, falou sobre o quanto os governos do PT fizeram pelo Nordeste e por Pernambuco, especialmente na área da educação.

Haddad lembrou que antes da Era Lula, o jovem do interior tinha que se mudar para ter acesso à universidade. “É uma coisa que impressiona a quantidade de histórias que a gente ouve sobre filhos de trabalhadores que viraram doutores”, disse.

O petista ressaltou que Lula tem insistido em duas palavras que “irão guiar nosso governo: trabalho e educação”. Haddad lembrou que esse pilar, desde o golpe de 2016, vem sofrendo grandes retrocessos promovidos por Temer e pelo PSDB. “Mas dia 7 de outubro vamos dar uma resposta ao governo Temer. E a resposta é votar 13”, bradou Haddad.

Cortes no Bolsa Família
Fernando Haddad falou também sobre o que o governo ilegítimo de Temer/PSDB está fazendo com os mais pobres: “o orçamento para o próximo ano prevê dinheiro suficiente apenas para seis meses de Bolsa Família. Ou o valor mensal vai ter que ser dividido pela metade, ou em junho o programa acaba, porque não haverá mais dinheiro”. A reforma trabalhista que retirou direitos dos trabalhadores e o salário mínimo que não tem mais aumento real também foram assuntos abordados por Haddad.

O porta-voz de Lula homenageou Eduardo Campos ao reforçar que “não vamos desistir do Brasil”, frase símbolo do já falecido ex-governador de Pernambuco. Haddad tem certeza de que o Nordeste vai dizer ‘sim’ ao projeto que transformou a região. “O Nordeste não vai dizer ‘não’ ao projeto que transformou essa região”.

Caminhada
Antes do ato, Fernando Haddad foi abraçado pelo povo em caminhada pelas ruas do centro de Garanhuns. Durante todo o percurso, entre o canto de “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”, as palavras de ordem mais ouvidas eram “Lula livre”. Nas palavras de Haddad: “estamos aqui em Garanhuns, depois da decisão do TSE, para mostrar que o povo não sai das ruas até garantir Lula na corrida presidencial”.

Já na Praça Dominguinhos, Fernando Haddad ouviu a leitura de carta enviada por Lula à Paulo Câmara, candidato à reeleição ao governo de Pernambuco. Também estava presente o candidato ao Senado, Humberto Campos.