30 de agosto de 2018

O porta-voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e candidato a vice-presidente em sua chapa, Fernando Haddad, afirmou, em entrevista à rádio Tiradentes de Manaus, nesta quinta-feira (30/08), que vai lutar até o fim para que o direito dos brasileiros votarem em Lula seja assegurado. Sua expectativa é que, na sessão extraordinária desta sexta-feira (31/08), o Supremo Tribunal Eleitoral siga a determinação da ONU, que obriga o Estado brasileiro a assegurar a Lula seu direito de ser candidato. “Se a determinação da ONU for respeitada, Lula fará um terceiro mandato ainda melhor que os dois primeiros”, afirmou.

Haddad criticou o governo Temer e o PSDB por tentarem impedir a candidatura de Lula. “O Ministério das Relações Exteriores, comandado por Aloysio Nunes (PSDB), e o Ministério da Justiça, comandado por Torquato Jardim, imediatamente saíram a campo contra a determinação da ONU, dizendo que Lula não poderia ser candidato. Isso é assunto da Justiça. Temer está passando vergonha internacional. Tentar impedir alguém que ganharia em primeiro turno não é caminho bom para consolidar a democracia do Brasil”.

Para Haddad, é preciso organizar forças para retomar o desenvolvimento. “O país precisa de uma liderança e eu não vejo ninguém melhor do que Lula para tirar o Brasil da crise. A população tem o mesmo entendimento. Os amazonenses querem Lula, porque têm saudades dos anos de prosperidade que oferecemos”, disse o candidato a vice.

Amazonas

O ex-ministro da Educação ressaltou a importância de tratar a região Norte de acordo com suas especificidades. “Todo tratamento ao Norte deve ser adaptado às demandas da região. Não adianta aplicar o modelo de outras regiões. Antes de Lula, não havia transporte fluvial para crianças estudarem. Com o programa Caminhos da Escola, em vez de ônibus, disponibilizamos embarcações, que são transportes mais adequados à região”.

O porta-voz de Lula lembrou que o Amazonas teve a maior fase de crescimento durante os 13 anos em que o PT esteve no poder. “Prorrogamos a zona franca até 2073. Fizemos o gasoduto Urucu-Coari-Manaus e a linha de transmissão Tucuruí-Manaus para dar segurança energética”, disse Haddad, para reafirmar o compromisso de Lula em continuar investindo em infraestrutura e a gerar emprego.

”O primeiro passo será revogar a EC-95 do teto dos gastos e retomar as obras do PAC paralisadas por Temer para melhorar a infraestrutura do Norte do Brasil. Quem desmatar vai pagar imposto progressivo até reflorestar. Não precisamos de desmatamento para produção agropecuária. A área destinada a isso já atende a demanda nacional e internacional”, afirmou Haddad, declarando o compromisso do novo governo Lula em complementar o plano com energia, transporte, comunicação e educação. “Um plano conjunto para manter o Amazonas no bom caminho. Vamos proteger a Amazônia”.

Haddad falou sobre os planos de Lula para fazer a economia voltar a girar no país. “Vamos diminuir o imposto de renda a zero para quem ganha até cinco salários mínimos. Assim, faremos o mercado de consumo aquecer, gerando empregos. Vamos combater também os juros altos. Quanto mais o banqueiro aumentar os juros, mais imposto vai pagar. Isso vai permitir uma redução dramática dos juros e permitir à pessoa pagar dívidas, abrir um negócio e, eventualmente, limpar seu nome”, disse ele.

Na área de segurança pública, Haddad reafirmou a importância de federalizar o combate às facções criminosas. “Não é possível os governos dos estados combaterem as organizações criminosas que tomaram proporções nacionais. Ou federaliza, ou não vamos derrotar o crime organizado”, disse ele. Para Haddad, dessa forma, as forças locais poderão se dedicar a combater outros crimes.