03 de novembro de 2021

Muitos brasileiros que usam o iFood tomaram um susto ao acessar o aplicativo na noite do feriado desta terça-feira (2). Isso porque os nomes dos restaurantes foram substituídos na plataforma por uma série de mensagens de ódio e disseminação de fake news. Ataques às vacinas contra a Covid-19, xingamentos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mensagens de ódio contra a vereadora Marielle Franco juntaram-se a chamadas em apoio a Jair Bolsonaro. Um retrato da violência propagada por Bolsonaro e seus apoiadores.

Na manhã de quarta, a empresa confirmou que o ataque foi conduzido por um funcionário terceirizado e não se tratou de uma invasão hacker. O iFood também afirmou que os dados de clientes e colaboradores ficaram protegidos. Mesmo assim, muitos usuários relataram ter retirado seus cartões de crédito e débito cadastrados da plataforma.

De acordo com o aplicativo, 6% dos restaurantes tiveram seus nomes alterados para ataques de cunho político como “Lula ladrão”, “vacina mata” e Marielle de Franco Peneira”, em referência à vereadora do Rio de Janeiro assassinada por milicianos em 2018. Havia também mensagens de apoio a Jair Bolsonaro, como “Bolsonaro 2022”.

Veja a nota do iFood enviada ao UOL na terça-feira

“Na noite de hoje, 2 de novembro, o iFood identificou que alguns estabelecimentos cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados. Aproximadamente 6% dos estabelecimentos foram afetados. A empresa tomou medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores. Em investigações preliminares, a empresa informa que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito.”