22 de outubro de 2018

Um dia após a grande repercussão do vídeo em que o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Jair Bolsonaro, ameaça o Supremo Tribunal Federal (STF), a hashtag #LimpezaNoSTF ficou entre os assuntos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira (22/10). A hashtag foi propagada pelos apoiadores de Bolsonaro e é mais um acinte ao Supremo.

O filho de Bolsonaro afirmou em palestra que, se houver alguma tentativa de impugnar a candidatura do pai, o STF “terá que pagar para ver o que acontece”. Para ele, bastam “um soldado e um cabo” para dar o golpe.

A hashtag impulsionada por apoiadores de Bolsonaro pede a “limpeza” no STF por meio do ataque aos ministros Celso de Mello e Marco Aurélio, que repudiaram as declarações do filho de Bolsonaro. Bolsonaro não condenou a declaração do filho, nem se retratou, apenas disse que “advertiu” o “garoto”. O “garoto” tem 34 anos, é deputado com 1,8 milhão de votos, policial federal, usa uma arma na cintura e é um dos mais altos chefes da campanha do pai.

No Twitter, os apoiadores de Bolsonaro taxavam o STF como instituição corrupta e chegaram a atacar também o ministro Ricardo Lewandowski.