16 de outubro de 2018

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teve que adiar a reunião com coordenadores de campanha de Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) para combater mentiras e fake news. A reunião ocorreria nesta terça-feira (16/10) e teve de ser adiada a pedido da campanha de Bolsonaro, que foge dos debates e não quer firmar acordos para acabar com as fake news. Bolsonaro prefere continuar espalhando mentiras, boatos e fake news e se beneficiando da máquina de notícias falsas do WhatsApp, financiada não se sabe por quem.

O encontro proposto pelo TSE tem como objetivo construir um pacto para combater as chamadas fake news nas eleições. Preocupado com a disseminação de informações falsas, o TSE deslocou três servidores da área técnica dentro do centro integrado que monitora a segurança das eleições, em Brasília, a fim de reforçar as ações de enfrentamento às fake news.

Haddad já havia chamado publicamente Bolsonaro para firmar um acordo contra as fake news. O acordo foi rapidamente negado violentamente pelo militar.

Vale lembrar que nesta segunda-feira (15/10) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou a remoção de vídeos em que Bolsonaro espalha a mentira sobre o suposto kit gay — que não existe nem nunca existiu.