04 de outubro de 2018

Na manhã desta quinta-feira (04/10), o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) propagou fake news em entrevista concedida à Rádio Jornal, de Pernambuco. O candidato voltou a acusar os governos do PT de terem criado um “kit gay”. É mentira! Não existe, nunca existiu ou existirá um “kit gay”, conforme já desmentido e explicado pelo PT, por Lula e por Fernando Haddad em inúmeras ocasiões.

Bolsonaro disse que “eles queriam botar nas escolas para criancinhas a partir de seis anos de idade esse tipo de material: filmes de meninos se beijando, de meninas se acariciando. Isso não é justo”. Trata-se de uma informação falsa, simplesmente. Isso jamais aconteceu, e as agências de checagem também já confirmaram que esse tema é abordado permanentemente por meio de notícias falsas. Bolsonaro mente sobre a questão, e sabe que está mentindo, propagando notícias falsas.

Enquanto pessoas mal-intencionadas fazem o serviço sujo e anônimo nas eleições, fabricando e divulgando incessantemente notícias falsas, Bolsonaro aproveita-se dessa onda e lança mão de boatos e fake news em sua campanha para tentar tirar votos de Haddad.

Um levantamento do jornal Folha de S.Paulo demonstra que esse é um dos temas que a campanha do candidato do PSL mais tem explorado nas últimas semanas para atacar Haddad e, ao mesmo tempo, é uma das questões centrais que aparecem nas denúncias de fake news que a campanha do PT, PCdoB e PROS tem recebido nos últimos dias.

Obviamente, não é mera coincidência.

Para se ter uma ideia, em menos de 24 horas, a equipe do site do Lula recebeu 15 mil denúncias pelo número de WhatsApp criado como canal para monitorar boatos e fake news contra Lula, Fernando Haddad e Manuela D’Ávila.

Ao invés de produzir mentiras, por que as candidaturas não debatem ideias? Notoriamente, há candidatos que preferem fugir do debate de ideias (e dos debates!) e se escondem por trás das mensagens de WhatsApp para disseminar o ódio e a desinformação. Isso é típico de quem não tem propostas para o país.

Haddad, o candidato de Lula, tem o que mostrar. Sabe o que Haddad realmente distribuiu na educação? Comida de verdade para a merenda escolar (com o Programa Nacional de Alimentação Escolar) e ônibus, lanchas e bicicletas para transporte escolar (pelo programa Caminho da Escola).

Haddad foi também o ministro da Educação que mais distribuiu oportunidades para as pessoas cursarem o ensino superior: foi ele que criou o Prouni, simplificou e ampliou o FIES, construiu 14 universidades federais, 126 câmpus universitários e 214 escolas técnicas, só para citar alguns exemplos. Haddad e Manuela também registraram um Plano de Governo completo e detalhado no Tribunal Superior Eleitoral.

Fake news no ar
Confira abaixo o que Bolsonaro disse à Rádio Jornal sobre o tema, mentindo para os ouvintes e tentando conquistar votos das famílias do Nordeste. Na região, Haddad tem 36% dos votos, de acordo com a última pesquisa Ibope. Bolsonaro tem 21% e Ciro,  15%. Ou seja: no Nordeste, Haddad sozinho tem tantos votos quanto os candidatos do PSL e do PDT somados.