28 de agosto de 2018

Durante entrevista coletiva no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (28/08), o candidato à vice-presidência e porta-voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad, afirmou que “o Brasil precisa atender à determinação da ONU, que diz que a cassação da candidatura do Lula é ilegal e não atenderia a critérios mínimos da democracia”.

Haddad disse ainda que a candidatura de Lula já conseguiu demonstrar que o ex-presidente é o melhor condutor para tirar o Brasil da crise “e isso foi comprovado pelo apoio do povo, demonstrado nas pesquisas de intenções de voto”, em que Lula aparece líder em 23 dos 27 estados.

O porta-voz de Lula afirmou que só com eleições livres e justas, com Lula candidato, a estabilidade política poderá retornar ao país. “Nós conhecemos a fórmula para reintegrar o Brasil. Nós vivemos 12 anos de prosperidade, 12 anos de geração de emprego, com oportunidades educacionais como nunca se viu para a juventude. Nós vivemos isso durante 12 anos. O problema é que o resultado das eleições de 2014 não foram aceitas”.

Perguntado sobre a proposta de governo para a segurança pública no Rio de Janeiro, que está sob intervenção militar, Haddad declarou que o Plano Lula prevê um outro modelo da segurança pública. “Nós vamos federalizar o combate a alguns crimes, porque não há como os governos dos estados enfrentarem as organizações criminosas que se nacionalizaram. Os militares não podem ser responsáveis por garantir a segurança pública; por isso, nós vamos substituir a intervenção militar por um contingente civil”.