21 de junho de 2022

A gente sabe que não é fácil segurar um impulso. Os estudos de psicologia e comportamento humano confirmam que é muito mais natural reagir rápido a algo que nos tira do sério e brigar, ainda mais no ambiente digital e nas redes sociais. O problema é que justamente aí, no caso das fake news, nós passamos a ajudar quem só quer nos atrapalhar. O que eles fazem é atiçar nossos instintos mais básicos para, assim, usar esse impulso contra nós.

Tudo isso é método e portanto repetimos: engajar com fake news é sempre uma fria. Qualquer reação online é identificada pelos algoritmos como positiva, mesmo quando você detestou aquilo. Acompanhe este breve passo a passo e entenda como, sem querer, muitas vezes a gente acaba fazendo tudo o que o gabinete do ódio queria. Ninguém merece!  

Jeitos de ajudar o Gabinete do Ódio a espalhar fake:
1) Comentar as fake news, mesmo discordando.
2) Compartilhar qualquer fake, seja pra fazer graça, seja para alertar, e não interessa muito, seja no whatsapp, no tiktok, no twitter, no direct e até nos seus stories fechados. Fake news não se compartilha. 
3) Brigar nas redes sociais. Não adianta discordar: provavelmente você vai discordar de um robô.

Mantenha a calma! O único jeito de parar a mentira é a verdade.

“Ah, mas quando vou ver, já foi”, você pode dizer. Sim, acontece! Mas prestar atenção no seu próprio comportamento digital (e infelizmente teremos muitas fakes pra “treinar” isso) é um aprendizado. Pode ter certeza que, com a prática, mesmo as reações mais irracionais ficarão mais fáceis de controlar e evitar. Sabemos que ninguém tem sangue de barata, mas nos ver brigar nas redes é tudo que eles querem. É mais uma maneira de nos distrair.

Nós estamos aqui para espalhar a verdade, para desmentir fakes (isso sim você pode espalhar!) e para criar conteúdos que facilitem a vida de quem não aguenta mais brigar por mentiras. Mentira não paga boleto. Mentira tem perna curta. Mentira desaparece com a verdade. Vamos juntos pelo Brasil!