01 de setembro de 2018

Em 24 de agosto de 2017, Luiz Inácio Lula da Silva chegava a Pernambuco, estado em que nasceu e que deixou, aos 7 anos, junto com a mãe e os irmãos, em busca de uma vida sem miséria e sem fome. Recebido com muita festa, o filho de dona Lindu é, para a grande maioria do povo pernambucano, o presidente que mais fez por eles. Principalmente para aquela parcela da população acostumada a viver, geração após geração, no mais absoluto esquecimento por parte do poder público. A passagem do ex-presidente pelo estado fazia parte do projeto Lula Pelo Brasil, que tinha como objetivo conferir a realidade brasileira no contexto das grandes transformações pelas quais o país passou nos governos do PT. E Pernambuco tinha muito o que mostrar. A acolhida calorosa se repetiu em agosto deste ano, quando Fernando Haddad esteve em Garanhuns.

Os programas sociais implementados por Lula e Dilma tiraram milhões da extrema pobreza. Com o Bolsa Família, o governo permitiu que pessoas em vulnerabilidade social tivessem acesso à renda. No estado, com 9.345.173 de habitantes, somente no mês de abril de 2016, foram mais de 1,13 milhão de famílias e  3 milhões de pessoas beneficiadas pelo programa. Com o Luz para Todos, o governo federal investiu R$ 321,5 milhões para atender 107,1 mil ligações, levando energia elétrica para quem vivia no escuro. Desde 2011, mais de 2 milhões de pernambucanos saíram da extrema pobreza, ou seja, mais de 20% da população do Estado.

O presidente não se dedicou apenas à questão que lhe é mais cara, o combate à fome e à miséria. Lula e Dilma aumentaram em 73,6% o número de postos de trabalho, gerando 695,2 mil empregos, e investiram pesadamente na educação dos pernambucanos. Foram construídos 7 campi, de 2003 a 2016. No período, o Prouni concedeu 49,1 mil bolsas de estudos em faculdades pagas. Pelo Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), foram 81 mil pessoas a ter acesso a universidades públicas. E com o Ciência sem Fronteiras, 4.121 universitários tiveram a oportunidade de estudar fora do país.

Eixo central da abordagem da área nos governos Lula, o Saúde da Família criou uma série de ações e programas para atender o maior número possível de pessoas em todo o país. Em 2015, 2.193 equipes de saúde da família, presentes em todos os 185 municípios, ofereciam cobertura potencial de 77% da população.

Outra ação que faz parte do Saúde da Família é o Brasil Sorridente, maior programa de saúde bucal do mundo, que fez chegar a lugares distantes de Pernambuco 1.559 equipes e 52 Centros de Especialidades Odontológicas. Antes de Lula, não havia políticas públicas para o setor.

Nos governos do PT, mais de 847 mil pessoas foram beneficiadas com medicamentos gratuitos e mais de 634 farmácias populares foram criadas.