13 de agosto de 2018

Nos dias 12 e 13 de agosto, foram realizados atos em mais de 10 países diferentes exigindo a liberdade imediata do ex-presidente Lula, mantido como preso político há mais de 4 meses na sede da Superintendência da Política Federal, em Curitiba.

A Jornada Internacional chamada pelo Comitê Internacional #LulaLivre convocou os coletivos de apoio a Lula espalhados pelo mundo a realizar manifestações para denunciar a prisão política do ex-presidente e exigir sua imediata liberdade. A iniciativa também tem como objetivo protocolar nas embaixadas e consulados brasileiros uma carta ao Supremo Tribunal Federal (STF) exigindo a anulação da arbitrária sentença que mantém Lula preso por razões políticas, sua liberdade imediata e defendendo seu direito a ser candidato à presidência do Brasil nas eleições de outubro.

Foram realizados atos em Santiago (Chile), Nova York e Washington (EUA), Buenos Aires (Argentina), Havana (Cuba), Londres (Reino Unido), Porto Príncipe (Haiti), San José (Costa Rica), Joanesburgo (África do Sul), Caracas (Venezuela), Estocolmo (Suécia), Cidade do Panamá (Panamá).  Ainda esta semana estão agendados atos em Portugal, França, Alemanha e Suíça.

No dia 15 de agosto, dia do registro da candidatura do Presidente Lula, um twitaço internacional também foi convocado entre 12h-15h (hora de Brasília), utilizando as hashtags: #FreeLula, #LulaLivre e #LulaLibre.

Ainda como parte do dia internacional, na manhã desta segunda-feira (13/08), a senadora Gleisi Hoffmann, presidenta do PT, concedeu entrevista coletiva aos correspondentes estrangeiros.

Confira as fotos e vídeos dos atos ao redor do mundo.

Santiago/Chile

Nova York/EUA

Buenos Aires/Argentina

Joanesburgo/África do Sul

Em Washington DC ativistas do Brazilians for Democracy and Social Justice, sindicalistas das maiores centrais sindicais dos Estados Unidos e representantes da sociedade civil se reuniram nesta segunda-feira (13) em frente à Embaixada do Brasil  para protestar contra a prisão política do ex-presidente Lula e pedir que seja garantido seu direito a ser candidato nas próximas eleições.

 Caracas/Venezuela

Londres/ReinoUnido

Cidade do Panamá/Panamá

San José/Costa Rica

Estocolmo/Suécia

Porto Príncipe/Haiti