07 de outubro de 2018

Em uma afronta direta à Justiça Eleitoral, Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, postou em seu perfil no Twitter o vídeo de uma urna SUPOSTAMENTE fraudada. Segundo a lei eleitoral, é CRIME filmar e/ou fotografar as urnas. Eduardo Bolsonaro, seu irmão, havia postado mais cedo um tuíte SOLICITANDO que seus eleitores filmassem as urnas – e, portanto, incitando o crime.

A segurança das urnas eletrônicas é continuamente reiterada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelos recorrentes testes de segurança a que as urnas são submetidas. A própria presidenta do TSE, Rosa Weber, afirmou em pronunciamento em rede nacional na noite anterior às eleições que a urna eletrônica é totalmente segura e testada. Qualquer anormalidade apresentada pelas urnas deve ser IMEDIATAMENTE comunicada aos mesários e a mesma deve ser substituída.

Flávio Bolsonaro, ao postar o vídeo de SUPOSTA fraude, sem qualquer comprovação de que se trate de vídeo verdadeiro, alimenta a rede de boatos e fake news na internet. A partir da postagem do candidato a senador, milhares de apoiadores também postaram o vídeo ilegal em suas redes.

O TSE já veio a público afirmar que o vídeo é FALSO e produto de montagem.

O vídeo já foi compartilhado por milhões de usuários do Twitter, Facebook e WhatsApp e configura um ataque gravíssimo, por parte de uma figura pública, ao processo democrático do qual ele mesmo faz parte como candidato ao Legislativo.

O setor jurídico da campanha da coligação O Povo Feliz de Novo tomará todas as medidas legais possíveis contra mais esse crime. A família Bolsonaro afronta diretamente o TSE.