02 de setembro de 2018

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sempre teve o objetivo de melhorar a vida dos milhões de brasileiros e Alagoas foi um dos estados que viveu transformações durante os governos federais do PT. Lula implementou, por exemplo, programas de transferência de renda, acesso à educação e saúde e convivência com o semiárido, que melhoraram a vida dos alagoanos do campo e da cidade.

Os alagoanos de famílias rurais de baixa renda atingidos pela seca ou pela falta regular de água foram muito beneficiados pelo Programa Água para Todos. Entre 2011 e 2016, o programa distribuiu 50.164 cisternas para consumo e 8.880 para produção em todo o estado, o que gerou a capacidade de armazenar aproximadamente um milhão de litros de água.

Os agricultores do estado foram os mais favorecidos com o programa. Geraldo Vicente dos Santos, agricultor do povoado de Lagoa D’Água, em Arapiraca, falou das dificuldades na época em que não tinha cisterna. “Era muita dificuldade de chegar água. Tinha tempo que faltava 5, 6, 15 dias, chegava um mês que faltava água. Agora todo mundo tem água para usar no consumo da casa, da roupa, e isso tudo foi através de Lula”.  

Na educação, Lula e Dilma também promoveram uma transformação. No ensino superior, as matrículas em cursos superiores no estado mais que triplicaram: de 31,3 mil, em 2002, passamos para 101,4 mil, em 2015. O Prouni atendeu 13,4 mil alunos do ensino superior com bolsas de estudos e outros 32,2 mil foram beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (FIES).

E ainda foram criados seis novos câmpus universitários, interiorizando os centros de ensino superior. O agreste alagoano se tornou polo universitário com os câmpus da Universidade Federal de Alagoas em Arapiraca e Palmeira dos Índios. Também foram construídos novos câmpus em Penedo, Viçosa, Delmiro Gouveia e Santana do Ipanema.

O número de matrículas na rede federal de ensino técnico cresceu quase cinco vezes, passando de 1.760, em 2002, para 8,5 mil, em 2015. Além disso, o Pronatec garantiu vagas para 171,4 mil jovens alagoanos. Antes de Lula, existiam apenas quatro escolas técnicas no estado. Com o PT, foram criadas 12 novas, além da Escola Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas – UFAL.

Também a educação infantil recebeu atenção especial. O número de matrículas em creches mais que duplicou no estado: eram 9,8 mil, em 2002, e passaram para 26,6 mil, em 2015.