28 de setembro de 2018

O Pará, segundo maior estado do Brasil em extensão territorial, foi beneficiado por uma série de políticas públicas durante os governos federais do PT, como transferência de renda, segurança alimentar e nutricional, acesso à energia elétrica e moradia, entre outras.

Os governos do PT cuidaram de problemas urgentes no Pará, retirando mais de 1,5 milhão de pessoas da extrema pobreza, desde 2011. Para isso, um conjunto de políticas sociais foi implantado no estado.

Pelo Bolsa Família, 915.780 famílias eram beneficiadas mensalmente, em abril de 2016. Dessas famílias, 31 mil são quilombolas; 33,8 mil são pescadores artesanais; 247,5 mil são agricultores familiares e 10,3 mil são assentados da reforma agrária.

O sonho da casa própria também se tornou realidade para 142.367 famílias, por meio do programa Minha Casa Minha Vida. O Programa Luz para Todos levou energia elétrica para 385.298 casas e equipamentos públicos para lugares que antes não tinham luz.

O Pará viu as vagas de emprego com carteira assinada mais que dobrarem durante os governos federais do PT: foram nada menos que 554.401 novos postos de trabalho formal, o que representou um aumento de 101,49% em relação ao ano de 2003.

Educação: as bases para o futuro
As políticas públicas do governo Lula também possibilitaram inclusão e desenvolvimento social. Foram estruturadas bases para o futuro, com uma verdadeira revolução no ensino no Pará. Finalmente os mais pobres e a população do interior do estado tiveram acesso ao ensino superior.

Além dos 18 novos câmpus universitários distribuídos por vários municípios e regiões paraenses, os governos do PT possibilitaram que mais de 33,8 mil estudantes ingressassem na faculdade por meio do Prouni e outros 39,6 mil por meio do FIES. As matrículas em cursos superiores no estado mais que triplicaram: de 61,2 mil, em 2002, para 213,1 mil, em 2015.

Na rede federal de ensino técnico, o número de matrículas cresceu mais de oito vezes, passando de 5,26 mil, em 2002, para 45,35 mil, em 2015. No Pronatec, foram realizadas 31 mil matrículas.

Para garantir o acesso também à educação básica, os governos do PT entregaram para o Estado 1090 ônibus, 388 lanchas e 4.594 bicicletas. Antes, o Pará contava com apenas cinco lanchas para o transporte de estudantes, em uma região onde as hidrovias são o principal meio de transporte pelo interior.

Também as políticas para o campo receberam atenção das gestões petistas. O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), em 2012, no auge do programa no Pará, contava com 2,7 mil agricultores, que forneceram 4,7 mil toneladas de alimentos para 410 entidades no estado. Por meio do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), foram firmados 31,1 mil contratos, no valor de R$ 433,7 milhões, no ano agrícola 2014-2015.

Infelizmente, muito do que foi construído foi desmantelado pelo governo ilegítimo de Temer e do PSDB. Porém, Fernando Haddad, o candidato de Lula, tem um plano de governo para retomar os programas e as políticas que tiveram sucesso no Pará, além de implantar novos projetos para garantir o desenvolvimento econômico e social ao estado e ao país.