08 de setembro de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

O candidato a vice-presidente na coligação “O Povo Feliz de Novo”, Fernando Haddad, disse, na manhã deste sábado (08/09), em Parelheiros, região do extremo sul de São Paulo, que independentemente das estratégias dos demais candidatos à presidência da República, o Partido dos Trabalhadores seguirá com uma campanha propositiva, mostrando aos eleitores tudo o que já fez quando estava no governo e demarcando as diferenças em relação à política econômica e social atual, que vem afundando o país na crise. Em suas falas durante os atos de campanha, Haddad sublinhou a importância de retomar uma série de obras paradas na região (que incluem hospitais, obras de infraestrutura e de habitação) para gerar empregos e entregar benefícios à população. Na parte da tarde, Haddad visitou Cidade Ademar. 

“A nossa crença é de que o povo sabe como nós governamos durante 12 anos. O povo sabe que, durante os últimos quatro anos, o Brasil foi sabotado, e que o projeto que está aí coloca a perder a soberania nacional, a soberania popular e os programas sociais que caíram no gosto da população”, disse Haddad em entrevista concedida a jornalistas, momentos antes de iniciar sua caminhada na região de Parelheiros.

Questionado sobre o ataque sofrido pelo candidato do PSL à presidência em ato de campanha na última quinta-feira, Haddad reiterou o desejo de que ele se restabeleça logo. Haddad comentou também sobre as fake news que surgiram na internet relacionadas a este ataque. “A reação da população às chamadas fake news tem sido muito rápida. E isso é bom, porque demostra que as pessoas estão atentas e não querem que o processo democrático seja perturbado. Se todo mundo fizer o seu papel, nós vamos conduzir esse processo eleitoral da melhor forma possível”.

Parelheiros e Grajaú

Haddad passa o sábado em atividades na zona sul de São Paulo, incluindo caminhadas em Parelheiros e Grajaú. Antes de iniciar a sua caminhada em Parelheiros, ele disse aos presentes que um novo mandato do PT na presidência da República vai priorizar a inauguração por completo do Hospital de Parelheiros e da estação de trem de Varginha, a vigésima da linha Esmeralda da CPTM.

“Temos duas obras na região de Parelheiros que o PT começou e os tucanos pararam. Uma é o hospital de Parelheiros que eu e a Dilma começamos e o Doria parou. Eu entreguei 85% do hospital pronto e ele, em dois anos, não conseguiu terminar. A outra obra que nós começamos aqui, junto com o governo federal, foi a estação de trem de Varginha. São duas obras com o dinheiro do governo federal e o Temer, Alckmin e Doria não fizeram nada. Nada por Parelheiros. Temos que eleger o PT a nível nacional e estadual para finalizarmos esses trabalhos”, disse Haddad.

Para Haddad, a saúde da região de Parelheiros só vai melhorar quando o hospital estiver funcionado em sua totalidade. “A saúde só vai avançar aqui quando o hospital estiver pronto. Sem hospital, você não traz médicos. Os médicos têm medo de vir, porque não têm para onde encaminhar seus pacientes. Faz 24 anos que os tucanos mandam aqui e não fazem absolutamente nada para melhor a vida do povo. São 240 leitos novos para aliviar o Hospital do Grajaú”.

Haddad destacou ainda que o PT também retomará as obras do PAC Mananciais na região. “É o desejo do Lula. É um projeto de urbanização para trazer esgoto, saneamento e pavimento para os moradores de Parelheiros. Temer e Alckmin conseguiram acabar com esse programa também”.

Em Varginha, Haddad lembrou que, quando foi prefeito de São Paulo, enfrentou o desafio de fazer o corredor de ônibus da Avenida Belmiro Amorim e também de implementar a Unidade de Saúde do Cantinho do Céu. “São obras que melhoraram a vida da população (…). Esse governo atual não olha para a periferia. Não resolvem monotrilho, absolutamente nada. As pessoas aqui estão com medo de perder o emprego por conta dessa reforma trabalhista. Deram o golpe no país para fazer essa lambança”, disse Haddad ao reafirmar que o PT quer voltar à presidência da República, ao governo do estado e, no futuro, à prefeitura de São Paulo para o povo ser feliz de novo.

Haddad também visitou o assentamento Anchieta, onde denunciou que as obras do Minha Casa Minha Vida estão paradas. Haddad relembrou as 5.000 unidades do Minha Casa Minha Vida que foram entregues na região, e completou: “o que você tem de obra em São Paulo hoje? Nenhuma. Sem obra, você não gera emprego e não traz benefícios para a população. Obras paradas prejudicam o trabalhador e o cidadão. Lula quer que a gente retome o governo para retomar as obras”.