08 de setembro de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

O candidato a vice-presidente na coligação “O Povo Feliz de Novo”, Fernando Haddad, afirmou, na tarde deste sábado (08/09), em visita às Vilas Joaniza e Missionária, na região sul de São Paulo, que, nas ruas, só tem visto tristeza e violência. “Nós precisamos botar o Brasil nos trilhos novamente. Vamos fazer casas, gerar empregos, criar vagas em universidades”, disse Haddad. Mais cedo, Haddad esteve em Parelheiros.

Ex-ministro da Educação de Lula, ele apontou as várias conquistas no setor, principalmente para a população de baixa renda. “Sabe quantas bolsas nós demos do Prouni para o povo que não pode pagar? 2 milhões de bolsas. É muita bolsa. O Sisu a meninada conhece. Você faz o Enem, aplica no Sisu e tem toda rede federal de universidade a sua disposição. Se tirar uma nota boa no Enem, você pode entrar numa universidade paga, ou privada, pelo Prouni ou pelo FIES, sem fiador. Antes, o FIES tinha fiador, mas o Lula mandou tirar o fiador. Eu tirei”, declarou ele, lembrando que a região do ABC ganhou uma universidade federal na gestão do Lula.

Haddad falou da importância do povo saber quem mais fez por eles. “Tem que ter memória para se lembrar dessas coisas. Sem memória, o país não vai pra frente. Se a gente esquecer o passado, como vai construir o futuro? E o passado não é o de cinquenta anos atrás. É de cinco anos atrás, quando o Brasil estava feliz”.

O candidato lembrou os 20 milhões de empregos criados por Lula e Dilma no país. “Agora, entrou Temer lá e Dória cá, liquidou tudo”, disse. Acompanhado de Luiz Marinho, candidato do PT ao governo de São Paulo, Haddad disse que o ex-prefeito de São Bernardo foi ministro do Trabalho de Lula. “Esse cara aqui foi o que mais gerou emprego. Nós não estamos precisando de emprego? A solução é esse cara que está aqui. É só votar 13”, disse.

Ele falou ainda sobre as obras que realizou na região, quando foi prefeito. “Nós fizemos dois piscinões no córrego do Cordeiro, da Cupecê. Entregamos 3.860 apartamentos para as famílias que moravam no córrego. Duplicamos a estrada do Alvarenga. E entregamos duas UBSs integrais, a Miriam 2 e o Pantanal. Reformamos o parque Sete Campos. Fizemos o Hospital de Santa Catarina, com 240 leitos”.

Haddad disse que ainda há muita obra parada e por fazer; por isso, a importância de votar 13 para governo do estado e para a presidência da República. “Faz três anos que o Brasil parou com o Dória e o Temer. O Dória chegou a cortar leite e a colocar ração para as crianças. O povo se revoltou, ele tirou a ração, mas continua cortando leite. É hora da gente voltar a fazer por São Paulo e pelo Brasil o que a gente sabe”.