29 de agosto de 2018

Fernando Haddad é porta-voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e candidato à vice-presidência em sua chapa. Ele é a voz e as pernas de Lula pelo Brasil, enquanto o ex-presidente é mantido preso político em Curitiba desde 7 de abril. Haddad está percorrendo o Brasil em campanha e já passou por 8 estados em 13 dias. O vice de Lula percorreu 7 mil quilômetros, realizou caminhadas a pé, no meio da multidão, por 18,1 quilômetros e nenhum dos seus 72.099 passos (só contabilizando a distância percorrida a pé) foi mostrado pela Rede Globo, no Jornal Nacional.

As caminhadas por Teresina, Salvador, Aracaju, João Pessoa, Campina Grande, Viana, São Luis, Mossoró, Niterói e São Gonçalo foram acompanhadas por milhares de pessoas, gerando imagens que só uma mídia descomprometida com a verdade pode ignorar. Entre as 10 cidades, a campanha Lula presidente já se deslocou por mais de 7 mil quilômetros.

Desde o último dia 20/08, o Jornal Nacional faz a cobertura diária das agendas dos presidenciáveis mais bem classificados nas pesquisas eleitorais. Menos da de Lula. Entre 20 e 24/08, foram 5 minutos dedicados a Ciro, Marina e Alckmin, 4 minutos dedicados a Bolsonaro (que não teve agenda em um dos dias), 1 minuto a Álvaro Dias (que ocupa a sexta colocação nas pesquisas) e apenas 21 segundos para Lula, utilizados para “explicar” que o jornal não cobriria a agenda do líder nas pesquisas, porque ele se encontra preso.

A campanha de Lula está nas ruas e, de acordo com o princípio de isonomia da mídia, deve ter cobertura diária de suas atividades. Nos 8 estados, a imprensa foi convidada a acompanhar coletivas com o porta-voz de Lula e a ouvir as propostas do novo governo para cada estado. Apesar de ter gravado imagens de algumas dessas coletivas, a Rede Globo continua se recusando a mostrar a campanha do candidato que tem recorde de intenções de voto no primeiro turno.

Haddad seguirá percorrendo o pais em nome do ex-presidente Lula, sendo sua voz e suas pernas, até que a determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU seja respeitada e Lula possa exercer seus direitos como candidato à presidência do Brasil.

Não adianta a mídia tentar esconder Lula. Não se podem prender ideias. Somos milhões de Lulas pelo Brasil.