13 de junho de 2022

Há décadas, Luiz Inácio Lula da Silva é vítima de mentiras, armações, montagens e distorções que tentam minar sua imagem pública, sua honra e a de sua família. Há décadas, seus opositores apelam para ataques baixos e nada conseguem provar.

Como na indústria das fake news nada se cria, tudo se recicla, é comum que velhas mentiras sejam requentadas para manter o mesmo tipo de ataque à reputação de Lula. Os agentes do gabinete do ódio não têm qualquer compromisso com a verdade, por isso não se importam em ser constantemente desmentidos. O que tentam é criar dúvidas, sentimentos negativos, que depois são usados para manipular as pessoas vítimas desse esquema de desinformação. Não caia nessa!

Recentemente, agências de checagem publicaram uma série de desmentidos sobre conteúdos espalhados pela base bolsonarista – muitas vezes com dinheiro público – e que miram o patrimônio do ex-presidente Lula. Tentam acusá-lo de um enriquecimento ilícito que jamais foi comprovado. A verdade é que Lula entrou e saiu do governo com o mesmo patrimônio imobiliário que tinha antes de ser presidente da República.

Tudo isso é cortina de fumaça, pois a maioria dessas mentiras passou a ser divulgada após o escândalo da farra de Bolsonaro com o cartão corporativo. Uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) revelou um gasto de cerca de 21 milhões de reais com “despesas secretas” de janeiro de 2019 a março de 2021. É isso que Bolsonaro tenta esconder enquanto preenche a agenda passeando e tirando férias com o nosso dinheiro!

Listamos quatro mentiras (já desmentidas por jornalistas independentes) sobre o patrimônio de Lula:

mentira #1: dizer que Lula se apropriou de um faqueiro da Rainha que, a propósito, nunca deu esse presente ao Brasil

Essa fake news é velha e já foi desmentida em 2020, mas voltou a ser divulgada em maio deste ano, quando Lula se casou com Janja. É mentira que o ex-presidente tenha ficado com um faqueiro, presenteado pela Rainha Elizabeth II, ao deixar o Alvorada. Costa e Silva nunca sequer ganhou um faqueiro de presente da Rainha da Inglaterra, como diz a fake news, e a imagem que usaram é de um faqueiro sem procedência comprovada no site da Mozart Leilões, do Rio de Janeiro. É inveja que chama, hein?!

mentira #2: dizer que Lula alugou imóvel de luxo em São Paulo

Também na época do casamento mais bacana deste ano, passou a circular um vídeo de 1 minuto e 43 segundos mostrando detalhes de decoração de uma casa de alto padrão em um condomínio fechado dizendo que era uma casa alugada por Lula. Montagem e das feias. A casa existe sim, é de um corretor de imóveis de alto padrão de Fortaleza, no Ceará, e ele mesmo afirmou: Lula jamais sequer pisou no imóvel. Vamos dizer a verdade? O amor só incomoda quem não ama!

mentira #3: dizer que Lula foi capa da Forbes como um dos mais ricos do mundo

E vamos logo com a verdade: Lula foi capa da revista Time, aliás, um sonho antigo e nunca realizado de Bolsonaro… E dessa frustração brotou mais uma fake news. Deve ter doído do lado de lá ver o legado de um estadista como Lula sendo exaltado internacionalmente, enquanto a gestão do atual governo resulta em uma completa tragédia social, ambiental, econômica e moral ao país. Não só tentaram fazer parecer que a capa era falsa, como passaram a tentar distorcer a realidade reciclando mentiras de 2013. É que essa verdade dói para eles: a capa com o Lula na Time autêntica.

Por outro lado, é falsa a informação que aponta para uma suposta fortuna de Lula e que ele tenha saído na capa da Forbes. Por sinal, a montagem que está circulando foi feita em cima de uma capa de 2012 com “outros bilionários” como Carlos Slim, Bill Gates, Warren Buffett etc. Vamos recapitular? Lula é estadista sai na Time. Lula não é bilionário e não sai na Forbes. Bolsonaro é irrelevante e não sai em lugar nenhum.

mentira #4: dizer que Lula roubou ouro de Serra Pelada

No TikTok, um homem acusa o ex-presidente Lula de ter roubado, junto com a Vale e a mineradora canadense Colossus, 350 mil toneladas de ouro e diamantes retirados de Serra Pelada, em Carajás, no Pará. Obviamente ele não apresenta nenhuma referência para o que diz e muito menos provas. Isso porque, como em todas as acusações contra Lula, as provas simplesmente não existem. Lula é inocente!

Mesmo assim, vamos aos desmentidos: apesar do anúncio de que havia ouro a ser minerado em Serra Pelada, a empresa Colossus foi embora daquela região sem extrair nada. A acusação de que o dinheiro teria sido enviado ao exterior é totalmente descabida, mas reflete a mesma estratégia das mentiras que acusam, por exemplo, desviam no BNDES. Por fim, não há qualquer sentido dizer que esse ouro saiu de Serra Pelada, foi parar nas mãos do ex-presidente Lula e se transformou em dinheiro entregue à Venezuela. Essa fake news formato rocambole não leva a lugar nenhum! 

A propósito de tanta mentira, vamos relembrar: Lula ganhou absolutamente todos os processos movidos contra ele

Essa é uma história que ganhou bastante fôlego após a farsa da Lava Jato, que foi o o maior escândalo judicial da história do país. A verdade: Lula foi absolvido da principal acusação que a Lava-Jato fez contra ele, que era a de liderar uma organização criminosa, naquela denúncia esdrúxula que ficou conhecida por causa do PowerPoint. Ao todo, Lula acumula 25 vitórias judiciais, em absolutamente todos os processos que eram movidos contra ele. Em 23 de junho de 2021, o plenário do Supremo Tribunal Federal confirmou que Moro era suspeito para julgar Lula e anulou todas as condenações e todas as supostas provas fabricadas pela Lava Jato.

O processo da Lava Jato foi invenção montada por Moro (Sergio) e Dallagnol (Deltan) para enganar a imprensa, e a imprensa aceitou divulgar mentiras como se fossem verdades. Causou mal à história do Brasil, ao desenvolvimento do Brasil e ao crescimento do Brasil.

Lula

A verdade prevaleceu, nenhuma acusação foi provada. Ficou claro que Moro e os procuradores subverteram a lógica do processo penal, em uma clara ofensa ao devido processo legal e às garantias constitucionais do contraditório, da ampla defesa e da presunção de inocência.

Veja o resumo das 25 vitórias judiciais de Lula:

  1.  Caso Tríplex do Guarujá. A defesa de Lula provou que ele nunca foi dono, recebeu ou foi beneficiado pelo imóvel que, na verdade, pertencia à OAS. O caso foi anulado pelo STF em duas decisões.
  2. Caso Sítio de Atibaia. A defesa de Lula provou que ele nunca recebeu dinheiro da Odebrecht para pagar reformas do sítio, que também não era dele. A transferência de R$ 700 mil da empresa, que consta na denúncia, foi feita para um diretor desta e não para obras no sítio. O caso foi anulado pelo STF.
  3. Tentativa de reabrir o Caso do Sítio de Atibaia. A defesa de Lula provou que não é possível reabrir a ação penal contra ele pelas reformas o sítio de Atibaia, que jamais foi seu. A juíza da 12ª Vara Federal e Brasília acolheu os argumentos da defesa e rejeitou o pedido de reabertura do procurador da República Frederico Paiva.
  4. Caso do Terreno do Instituto Lula. A defesa provou que o Instituto nunca recebeu doação de terreno, ao contrário do que dizia a denúncia da Lava Jato, e que este sempre funcionou em sede própria. O caso foi anulado pelo STF.
  5. Caso das Doações para o Instituto Lula. A defesa de Lula provou que as doações de pessoas físicas de mais de 40 empresas brasileiras e de outros países para o Instituto Lula, entre 2011 e 2015, foram todas legais. O caso foi anulado pelo STF
  6. Quadrilhão do PT”. A acusação leviana e grave dizia que Lula era o chefe de uma organização criminosa que drenava recursos de estatais como a Petrobras. A 12ª Vara da Justiça Federal de Brasil arquivou a denúncia por verificar que que o Ministério Púbico Federal acusou sem apontar nenhum crime, nenhum ato ilegal ou de corrupção que tivesse sido praticado por Lula, seus ex-ministros ou por dirigentes do PT acusados junto com ele. O juiz afirmou que a denúncia simplesmente tentava criminalizar a atividade política. O caso foi encerrado e Lula foi absolvido.
  7. Quadrilhão” II. A 12ª Vara da Justiça Federal de Brasília rejeitou denúncia semelhante à anterior.
  8. Caso Delcídio. A defesa de Lula provou ser falsa a delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral. A 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília absolveu Lula e não houve sequer recurso da acusação, diante da fragilidade das acusações.
  9. Caso Palestras do Lula. Inquérito aberto na Vara Federal de Sérgio Moro, em dezembro de 2015, acusava Lula de simular a realização de palestras. Era mais uma farsa da Lava Jato. A defesa mostrou, com provas robustas, que todas as 72 palestras de Lula organizadas pela empresa LILS, entre 2011 e 2015, realmente foram realizadas. A PF e o MP tiveram que reconhecer que as palestram foram realizadas sem qualquer ilicitude ou simulação. A legalidade das palestras teve de ser reconhecida em decisão da juíza substituta de Moro, Gabriela Hardt. Caso encerrado, Lula inocentado.
  10. Caso da Lei de Segurança Nacional. Moro, já ministro da Justiça, requisitou à PF a abertura de inquérito contra Lula com base na Lei de Segurança Nacional. Lula foi intimado e prestou depoimento à PF. O inquérito foi arquivado pela 15ª Vara Federal Criminal de Brasília.
  11. Caso do filho de Lula (Touchdown). A defesa demonstrou serem falsas as acusações do MP contra Luiz Claudio Lula da Silva pela atuação de sua empresa de eventos esportivos Touchdown. A denúncia foi rejeitada  pela 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo.
  12. Caso do irmão de Lula. A defesa provou que não havia ilegalidade, fraude ou favorecimento nos serviços que frei Chico, um dos irmãos de Lula, prestou à Odebrecht antes de o ex-presidente ser eleito. A 7ª Vara Federal Criminal de São Paulo rejeitou a denúncia falsa.
  13. Caso do sobrinho de Lula. A defesa provou que não houve irregularidade, ilegalidade nem favorecimento na subcontratação de uma empresa de um sobrinho do ex-presidente para uma obra da Odebrecht em Angola e que Lula não recebeu qualquer valor decorrente dessa relação contratual. O Tribunal Regional Federal da Primeira Região trancou o caso porque a denúncia era inepta (sem condições mínimas para ser processada).
  14. Caso Invasão do Tríplex. A 6ª Vara Federal Criminal de Santos rejeitou a denúncia do MP referente ao protesto que integrantes do MTST fizeram contra a condenação injusta de Lula, em abril de 2018.
  15. Caso Carta Capital. Investigação encaminha à Justiça Federal de São Paulo. Falsamente, a Lava Jato tentou caracterizar como ilegais contratos de patrocínio da Carta Capital com a Odebrecht. O pedido de arquivamento do procedimento foi feito pela própria PF.
  16. Caso MP 471. Lula foi acusado de receber contrapartida pela edição da Medida Provisória 4771, que prorrogou incentivos à indústria automobilística. O próprio MPF pediu a absolvição de Lula, concedida pelo Juíz da 10ª Vara Federal de Brasília, que considerou não haver justa causa para manter a ação.
  17. Caso da Guiné. O ex-presidente foi falsamente acusado de praticar tráfico internacional de influência e lavagem de dinheiro porque o Instituto Lula recebeu uma doação oficial de uma empresa brasileira que atua na Guiné Equatorial. O TRF3 trancou a ação penal em habeas corpus impetrado pela defesa de Lula por reconhecer que não havia elementos que justificassem a tramitação.
  18. Caso BNDES Angola. Essa denúncia foi baseada na ação penal conhecida como Quadrilhão do PT, em que Lula foi absolvido a pedido do próprio MPF. A ação, sem provas, também utilizada elementos vindos de Curitiba e declarados nulos pela decisão do STF que reconhece a suspeição de Moro. A ação penal foi trancada e encerrada.
  19. Caso Costa Rica Leo Pinheiro. Investigação advinda da delação de Leo Pinheiro, que inicialmente acusava Lula de tráfico internacional de influência na Costa Rica para favorecer a empresa OAS. Ninguém ouvido pela PF confirmou a versão de Léo Pinheiro. O próprio executivo negou qualquer pagamento de vantagem indevida ao ex-presidente Lula em novo depoimento e em declaração de próprio punho. Investigação trancada por falta de provas.
  20. Segunda tentativa de reabrir o Caso Sítio de Atibaia. A 12ª. Vara Federal de Brasília rejeitou novamente o pedido do MPF para reabrir o sítio de Atibaia porque não havia provas, já que as utilizadas pela acusação foram fabricadas pela Lava Jato e anuladas pelo STF.
  21. Caso da sonegação de impostos sobre imóveis alheios. Lula foi acusado de não pagar impostos sobre reformas no tríplex de Guarujá e no sítio de Atibaia, imóveis que nunca foram do ex-presidente. O inquérito era baseado em provas forjadas pela Lava Jato e consideradas nulas por decisão do STF. Sendo assim, o próprio MPF concordou com os argumentos da defesa e a 1ª Vara Federal de São Bernardo do Campo arquivou o caso.
  22. Caso dos filhos de Lula.O inquérito acusava Fabio Luis, Marcos Cláudio e Sandro Lula da Silva de suposta sonegação de impostos por pagamentos feitos entre suas empresas. Mais uma vez, a denúncia era baseada em evidências forjadas pela Lava Jato. O MPF concordou com os argumentos da defesa e a 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo arquivou o caso, por falta de provas.
  23. Arquivamento do caso Tríplex do Guarujá. A Justiça Federal de Brasília encerrou definitivamente o caso e determinou o arquivamento do processo relativo ao Tríplex do Guarujá. O MP não ofereceu nova denúncia por falta de provas.
  24. Suspensão do caso Caças Gripen. A robusta decisão do STF acolheu os elementos apresentados pela defesa do ex-presidente e reconheceu que a ação penal fazia parte do “Plano Lula”, engendrado por integrantes da extinta Lava Jato. Mais uma prova do intenso lawfare (utilização criminosa da lei e de procedimentos legais, por agentes do sistema de justiça, para perseguir supostos inimigos) de que Lula foi vítima. A recomendação para a compra das aeronaves foi das Forças Armadas, por meio da FAB, em parecer de cerca de 30 mil páginas, sem nenhuma interferência de Lula.
  25. Arquivamento do caso “obstrução de Justiça”. A premissa da acusação por obstrução de Justiça relacionada à nomeação de Lula como ministro da Casa Civil baseava-se em farsa criada pela Lava Jato, já afastada pela Justiça por meio da absolvição de Lula no caso conhecido como Quadrilhão. O próprio MPF reconheceu no parecer que, diante da comprovada inexistência de uma organização criminosa, é impossível cogitar-se a prática do delito.

Se quiser saber mais sobre a farsa da Lava Jato, acesse os quadrinhos “Lula – da perseguição à esperança renovada“; uma história sobre o lawfare praticado contra o ex-presidente e como ele deu a volta por cima provando sua inocência diversas vezes na Justiça.

Lembrete: não interaja com fake news e siga denunciando!

Jamais compartilhe fake news. Qualquer ação sua online, mesmo que em tom de denúncia ou indignação, ajuda a aumentar a propagação desse tipo de conteúdo e tira o foco do que realmente importa. Curtir, comentar ou compartilhar fake news acaba ajudando em vez de enfraquecer a mentira!

A tática preferida de quem morre de medo do debate político: mentir para fazer o povo perder a confiança nas instituições, mentir para colocar dúvida sobre as eleições, mentir sobre as ações que não tomou durante o seu governo e mentir quando o seu governo se vê metido em denúncias de corrupção que já são quase diárias. É fato: Bolsonaro abre a boca sete vezes por dia só para falar mentiras.

Qual é, então, o caminho para a verdade? Basta seguir esses passos:

1 – Viu uma mentira?

Res-pi-ra. Conta até dez. Não a divulgue, nem para seus amigos mais próximos. Em vez disso, entre em https://lula.com.br/verdadenarede/ e pegue uma resposta para as fake news que estão listadas ali. Nosso site reúne o material das agências de checagem e também conteúdo próprio. Basta ir no campo de busca e digitar uma palavra marcante da notícia falsa.

Com essa “vacina” em mãos, se quiser, responda para quem te enviou a fake news com a verdade. Se a pessoa costuma dialogar com você, aproveite e envie também link para conteúdos que falam das realizações dos governos do PT para, assim, gerar um debate produtivo e sem briga.

2 – Não encontrou uma vacina?

Denuncie aqui para nós a fake news com a qual você se deparou. Vá aqui nosso site e clique no botão vermelho DENUNCIE AQUI. Sua denúncia nos ajudará a produzir novas vacinas e, também, será avaliada por nosso time jurídico e, se for necessário, entraremos em contato para maiores informações.

3 – Como seguir informado?

É só se cadastrar em um dos nossos grupos de WhatsApp. Estaremos sempre de olho. Procurando as mentiras que circulam nas redes e em grupos de WhatsApp e Telegram e trazendo a verdade.