24 de agosto de 2018

Em coletiva à imprensa concedida nesta sexta-feira (24/8), em Mossoró (RN), Fernando Haddad, porta-voz de Lula e candidato a vice-presidente em sua chapa, afirmou que aqueles que defendem a soberania nacional, a democracia e têm compromisso no combate à desigualdade estão no time de Lula.

Haddad anunciou seu prazer em divulgar pela ruas o plano de governo em nome do presidente, preso injustamente desde o dia 7 de abril, em Curitiba. A luta do Partido dos Trabalhadores é para que o próprio Lula defenda suas ideias nos debates e sabatinas na TV, um direito garantido na lei eleitoral. “Esse é nosso pedido, mas dependemos dos outros candidatos e só Guilherme Boulos (PSOL) tem defendido a participação de Lula. Os outros candidatos não querem porque, se a cada pesquisa, Lula, preso, sobe cinco pontos, se soltarem, ele liquida essa fatura no primeiro turno”, disse Haddad. “Nós teremos alegria em debater os caminhos que vão resgatar a soberania nacional”.

O melhor ministro da educação que o país já teve, nas palavras da senadora Fátima Bezerra, salientou a grandeza do ex-presidente. “Lula é um gigante, uma das pessoas mais importantes do mundo. Lula recebe um chefe de estado por semana. Já recebeu ex-primeiro ministro, ex-presidente da República, Prêmio Nobel da Paz. Já recebeu bilhete do papa. O JN não noticia, mas Lula não está esquecido. O povo não esqueceu Lula. O mundo não esqueceu Lula. A própria ONU falou que ele tem que ser candidato. Somos milhões de Lulas, porque Lula é um projeto, a ideia de um Brasil que não deixa ninguém para trás”.

O vice de Lula falou sobre os planos do próximo governo do PT em relação às medidas emergenciais para fazer a economia do país voltar a crescer. “Se os bancos não baixarem os juros, vão pagar mais impostos. O banqueiro vai sentir no bolso dele. Com os juros baixos, o povo vai poder limpar nome, abrir negócio, fazer crediário. O que não dá é para continuar cobrando 300% de juros em cartão de crédito”, afirmou Haddad, que ainda lembrou o compromisso de Lula em isentar de pagar Imposto de Renda de Pessoa Física aqueles que ganham até cinco salários mínimos.

Haddad criticou mais uma vez o teto de gastos imposto por Temer, afirmando que congelar gastos por vinte anos é irresponsabilidade. “Fale isso para um chefe de família, que ele não vai poder gastar com nada em 20 anos. Isso não faz sentido. Imagina em um país? A população cresce, envelhece, o crime avança e precisamos atuar. Isso não significa irresponsabilidade fiscal. Deixar uma obra como a Transnordestina parada é irresponsabilidade. Como o nordeste vai se desenvolver? Com Lula, nunca teve teto de gastos. Ele controlou inflação, diminuiu o déficit, aumentou o superávit”.

No início da coletiva, Haddad elogiou a parceria com a candidata ao governo do Estado pelo PT, a senadora Fátima Bezerra, em prol da educação no Brasil e no Rio Grande do Norte. “Ela vai ser governadora com apoio do Lula. Ela tem vasta experiência administrativa. É uma parlamentar que sempre vota com o povo, defendendo o interesse de quem precisa”.

Fátima afirmou que teve oportunidade de conviver com Haddad quando foi deputada federal e ele, ministro da Educação. Como relatora do Fundeb, segundo ela, pôde “constatar não só o preparo intelectual, mas a sua dedicação e obstinação como eficiente gestor”. “Por isso, não poderia ter escolha melhor. O melhor ministro da Educação que este país já teve também vai ser o melhor vice-presidente”, afirmou a candidata.