10 de setembro de 2018

Com o pé no freio nas obras e nos investimentos, o governo ilegítimo de Temer e do PSDB está provocando uma depreciação da infraestrutura já existente. Em dois anos, os equipamentos de infraestrutura se desgastaram em uma taxa de 2,38% do PIB (Produto Interno Bruto).

Se o país continuar nesse ritmo, só se conseguirá prover infraestrutura básica para toda a população em 2076. Esse encolhimento equivale a aproximadamente R$ 40 bilhões. Os cálculos são da consultoria especializada Inter.B.

Investindo muito pouco
O maior déficit de investimento se encontra na área de transportes, na qual o país aplica apenas um terço dos recursos necessários para reduzir os índices de congestionamento nas metrópoles e cidades médias.

Em 2017, foram aplicados em transporte, energia, telecomunicações e saneamento R$ 110,7 bilhões, ou 1,69% do PIB, parcela menor do que o 1,95%, de 2016. Neste ano, o investimento deve ficar em 1,7% do PIB. Países que se modernizaram estão chegando a 7% do PIB, sem contar o caso da China.

Em 2016, o PIB da construção civil registrou retração de 7,6% e o total de empregos com carteira assinada retroagiu a 2,9 milhões de trabalhadores na área.

Cortes no Minha Casa Minha Vida
O governo Temer/PSDB também tem feito cortes de investimentos no Minha Casa Minha Vida, o principal programa habitacional do país, refletindo em obras paradas e impedindo a contratação de novas unidades.

A proposta de Orçamento da União para 2019 prevê apenas R$ 4,6 bilhões ao programa Minha Casa Minha Vida, a menor destinação de recursos desde que o programa foi criado.

Os estragos causados pelo governo ilegítimo de Temer e do PSDB ao Minha Casa Minha Vida são ainda mais extensos. Temer retirou a prioridade para as populações de baixa renda e privilegiou a construção de moradias para as faixas mais altas. O governo não cumpriu as metas de 2016, alegando falta de recursos, ao mesmo tempo em que ampliou o limite da Caixa para financiar imóveis de luxo de até R$ 3 milhões.

PT irá retomar obras e investimentos
Durante os governos do PT, entre 2009 e 2016, foram entregues 2,7 milhões de moradias e contratadas mais 1,5 milhão, totalizando 4,2 milhões de famílias contempladas com habitações pelo Programa Minha Casa Minha Vida. Foram R$ 124,85 bilhões em subsídios federais e R$ 172,3 bilhões em financiamento.

Para o plano de governo do PT, a retomada das obras paralisadas, de investimentos e dos programas de infraestrutura nos municípios se apresenta como essencial, com o envolvimento direto de atores sociais e instituições representativas de trabalhadores, empresários e sociedade civil para elevar a ocupação da capacidade instalada existente de produção e consumo.