17 de outubro de 2018

A campanha de Jair Bolsonaro tem muito a explicar ao Brasil. Além das propostas que ele se recusa a esconder e de seu envolvimento com a indústria de fake news, mentiras e calúnias em redes sociais e WhatsApp, o candidato aparece agora em dezenas de outdoors espalhados pelo país de forma irregular.

São peças publicitárias espalhadas em pelo menos 33 municípios de 13 estados com o mesmo tipo de mensagem e imagem em apoio ao candidato do PSL. Para que sejam prontamente investigadas, o departamento jurídico da coligação O Povo Feliz de Novo entrou com ação de investigação judicial eleitoral no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apurar possível abuso de poder econômico perpetrado pelo candidato.

Tentando desequilibrar a disputa eleitoral em favor de Jair Bolsonaro, os outdoors não trazem identificação do CNPJ e da tiragem, o que indica que os custos para sua produção e para a locação do espaço publicitário não estarão nas prestações de contas eleitorais.

Isso é uma violação da transparência necessária das contas eleitorais: está sendo injetado dinheiro de origem desconhecida na disputa eleitoral. Bolsonaro sabe disso e se omite: isso se vê nas postagens que tem feito divulgando e agradecendo os responsáveis pelas peças.

Pela análise dos outdoors, fica claro que eles têm caráter eleitoral e, por serem tão parecidos, é pouco provável que sejam iniciativas isoladas de apoiadores e militantes. “A uniformidade das peças publicitárias veiculadas pelos outdoors cotejados revelam a existência de uma ação orquestrada, a escapar da singela manifestação de apoiadores desavisados”, diz o texto entregue à Justiça.

“Destaca-se a gigante projeção da imagem de Bolsonaro feita no Rio de Janeiro, o que traz ainda mais indícios acerca do abuso de poder econômico perpetrado pelos investigados, uma vez que se utiliza de propaganda demasiadamente onerosa, bem como da utilização de outdoor eletrônico”, completa o documento.

Bolsonaro se beneficiará diretamente dos resultados dessa campanha, que ganha reforço financeiro que não está compatibilizado nos gastos da campanha. A transparência nos gastos de campanha é fator essencial para a realização de uma eleição democrática e justa, e também uma preocupação de todos os brasileiros e brasileiras que se preocupam com o combate à corrupção.

É movida por essa preocupação que a coligação O Povo Feliz de Novo pede que o TSE instaure uma investigação e que o Ministério Público se manifeste. O Brasil não pode ser refém de interesses escusos que descumprem leis para desequilibrar o processo eleitoral. O compromisso de Fernando Haddad é com o povo. Por isso, insiste na realização de uma campanha limpa e aguarda o debate de propostas para construir um Brasil melhor. Chega de mentiras, calúnias e artimanhas.

Leia aqui a íntegra do documento.