09 de agosto de 2018

Os apagões da educação e da pesquisa promovidos pelo governo ilegítimo de Temer continuam em curso, atingindo o maior órgão de desenvolvimento científico do país. O orçamento destinado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) volta a sofrer cortes: a quantia destinada ao órgão em 2019 será 33% menor do que a de 2018. 

O orçamento do CNPq vai cair de R$ 1,2 bilhão em 2018 para R$ 800 milhões em 2019. A sequência de cortes na educação é resultado direto do golpe e das políticas de austeridade de Temer: o orçamento do CNPq em 2015 para bolsas nacionais, internacionais e fomento à pesquisa era de R$ 2,3 bilhões. Entre 2015 e 2019, o orçamento destinado ao órgão caiu mais de 65%.

Em 2018, o valor destinado a bolsas é de R$900 milhões e o custo com pesquisa e projetos fica em R$300 milhões. Com a redução, o órgão terá que acabar com os auxílios a pesquisas para poder prosseguir com o investimento nas bolsas. O corte de recursos também afeta diretamente os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia e programas específicos voltados a jovens pesquisadores.

Atualmente, o CNPq conta com cerca de 80 mil bolsistas diretamente ligados a projetos de pesquisa, formando a base da ciência e da tecnologia do país. Todas as bolsas do CNPq são atreladas a projetos de pesquisa. Com a redução do orçamento, não há verba para que as pesquisas sejam mantidas.