22 de março de 2018

“Tem uma parcela da sociedade brasileira que não consegue compreender como o filho de pedreiro, de empregada doméstica e de pequeno agricultor pode chegar onde os filhos dos mais ricos chegaram. Não consegue admitir que um pobre possa viajar de avião, que a filha de uma empregada doméstica possa ser doutora e até estudar no exterior. Não compreenderam que tiramos 15 milhões de pessoas das trevas, levando luz para todos de graça”, disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde desta quinta-feira (22), durante parada da caravana Lula Pelo Brasil no município de Cruz Alta (RS). 

Para os moradores, Lula fez um resgate do legado dos governos do PT no Brasil e explicou que o ódio da elite brasileira contra ele é por conta do protagonismo e das oportunidades que foram dadas aos que mais precisam. “Essa terra não se curvará a fascistas, a nazistas. Eles têm ódio de mim porque sabem que queremos voltar pra fazer o Brasil crescer de novo, pagar salário, distribuir renda, colocar mais jovem na universidade. Nós não queremos um país eternamente exportador de ferro e soja. Queremos exportar inteligência”, ressaltou. 

Veja como foi o ato em Cruz Alta: 

Parada não programada em Panambi 

Após deixar Cruz Alta, o ex-presidente e sua caravana fizeram uma parada não programada no município de Panambi, onde Lula tomou um chimarrão preparado por uma moradora local. Em seguida, Lula pegou a estrada novamente rumo à cidade de Palmeira das Missões para participar de um ato com movimentos sociais, encerrando o quarto dia da caravana pelo sul do Brasil. 

Veja como foi o ato em Panambi: