28 de outubro de 2016

Primeiro brasileiro sem diploma universitário a chegar à Presidência, Lula promoveu uma revolução no ensino superior.

Construiu 14 novas universidades federais. Espalhou extensões universitárias pelo interior do país. Implantou o Reuni, ampliando a oferta de cursos e vagas nas universidades federais que já existiam. Criou o ProUni, que garante o acesso de estudantes carentes às faculdades privadas.

Dilma Rousseff continuou a obra de Lula, e em dez anos o Brasil dobrou o número de matrículas em instituições de educação superior: de 3,5 milhões em 2002 para mais de 7,1 milhões em 2014. E tudo começou com um presidente que tinha apenas o diploma de torneiro mecânico do Senai.

Um deputado do atual governo disse que “quem não tem dinheiro, não tem que fazer universidade”. Quando as elites governam, o povo brasileiro é deixado de lado e justamente contra isso que o ex-presidente Lula lutou, luta e sempre lutará.

Era proibido universidade pra gente. A gente nem sonhava“, relembrou o ex-presidente. O máximo que a gente sonhava era ter uma profissão. Lamento essa visão. Você não pode fazer as pessoas deixarem de sonhar.”