19 de julho de 2013

Ao final de sua fala na conferência “2003-2013: uma nova política externa”, o ex-presidente Lula foi cumprimentado por um grupo de estudantes estrangeiros da Universidade Federal da Integração Latino-americana (Unila). Os sete alunos, provenientes de Paraguai, Colômbia, Equador e Uruguai, viajaram de Foz do Iguaçu, onde fica o campus da Unila, até São Bernardo do Campo para participar do encontro na Universidade Federal do ABC (UFABC).

Os estudantes elogiaram a oportunidade de poder estudar em uma universidade concebida para ser latino-americana. “Lula foi quem nos deu a oportunidade de estudar com pessoas de tantos países distintos e com esse enfoque diferente”, contou um deles.

O grupo explica que a diferença da Unila não está apenas no fato de ter estudantes de vários países, mas no paradigma diferente que ela ensina. “Ao chegar cada um tinha suas ideologias e seus preconceitos”, contam, “mas nos desenvolvemos para além do pensar nacional. Aprendemos a ser latino-americanos”.

Os estudantes ressaltam a importância de pensar uma integração para além da econômica e falam dos avanços que já foram feitos. “A integração já não é só econômica. Nós somos o exemplo de que a integração já foi além, e é também educacional, social e cultural”. “Este congresso serviu para ter opiniões mais concretas sobre integração. Percebemos a importância de pequenos ganhos. Às vezes as coisas demoram mais do que imaginamos”.

O grupo de alunos era formado por Nadia Ruiz, Marco Bogado, Agnieszka Artwik e Pablo Ucedo, do Paraguai; Paula Andrea Espinosa, da Colômbia; Cyntia Condoy; do Equador e Carla Orihuela, do Uruguai.