14 de agosto de 2018
Alessando Dantas

Plenária que antecipa grande ato do dia 15, em Brasília, foi marcada por esperança e determinação popular para homologar a candidatura do ex-presidente

Depois de quatro dias caminhando mais de cinquenta quilômetros, os marchantes do MST se encontraram em Brasília. As três colunas estão reunidas no entorno do Ginásio Nilson Nelson, onde houve uma plenária de preparação para o grande ato no dia 15 de agosto, quando será homologada a candidatura de Lula no TSE.

O evento contou com a presença de Gleisi Hoffmann e outras lideranças. Em discurso, ela agradeceu os movimentos campesinos pela luta aguerrida por justiça para Lula. “Desde o golpe, o povo camponês assumiu um papel de resistência sem precedentes nessa história. Nós teimamos em continuar a luta. Apesar deles, continuamos aqui e vamos registrá-lo nos braços do povo”.

A senadora e presidenta nacional do PT reafirmou que o partido não abrirá mão da candidatura de Lula sob nenhuma hipótese. “Nós vamos com Lula até o final, nas ruas, no dia 7 de outubro. O companheiro Haddad não é plano B, é vice. Nosso candidato se chama Luiz Inácio Lula da Silva. Se quiserem violentar o povo, não será por nossas mãos, nem por nossos dedos, porque nós vamos com Lula até a vitória”.

O ato foi organizado pelo MST, Via Campesina e outras entidades que integram a Frente Brasil Popular. De acordo com a organização, mais de 5 mil pessoas estão instaladas no local e outras caravanas devem chegar ainda nesta noite. A concentração-caminhada até a sede do TSE começa a partir das 14 horas, saindo em direção ao Itamaraty. De lá, os militantes seguirão em linha reta até o destino final.

Também participaram do evento a senadora Regina Souza e os deputados Paulo PimentaPaulo Teixeira, Wadih Damous Nilto Tatto e Luiz Sergio, além do ex-ministro Patrus Ananias e o ex-governador do RS, Olívio Dutra.

Seis dos sete militantes, que há 14 dias acompanham em greve de fome a batalha pela liberdade de Lula, vieram ao ato. Bastante debilitados, eles foram trazidos pelos cuidadores para a frente do trio elétrico sob aplausos.

Mesmo abatidos, o grupo mostrou disposição para levar a pressão popular às últimas consequências. “Pela primeira vez, não é o candidato que vai registrar, mas o povo brasileiro que vai selar o compromisso em nome de Lula”, disseram. Eles prometeram aguardar em jejum o julgamento das ADCs da prisão em segunda instância pelo STF.

Os preparativos terminaram com um “Boa Noite, Presidente Lula” que ecoou pela capital federal nas vozes dos que semeiam a luta por uma vida melhor no campo e na cidade.

Da Redação Agência PT de Notícias