10 de agosto de 2018

A ausência de Lula no debate com presidenciáveis transmitido nesta quinta-feira (9) pela TV Band gerou uma série de protestos em defesa a sua candidatura e ao seu direito de apresentar ao povo brasileiro, em rede nacional, as propostas do seu plano de governo.

Presente no ato realizado em frente à emissora, em São Paulo, a presidenta Nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, reiterou que a não participação do líder em todas as pesquisas de intenção de votos é um desserviço ao país. “Ele é pré-candidato e teria o direito de participar, mas eles não querem deixá-lo falar. Nós temos que deixar este protesto claro, pois estão ferindo os direitos do ex-presidente”, ressaltou a parlamentar, que na mesma noite participou de um debate paralelo transmitido pelas redes sociais de Lula com a participação de Fernando Haddad,  Sérgio Gabrielli e Manuela D’Ávila. 

Sem Lula, prosseguiu Gleisi, o debate eleitoral sai enfraquecido. “Não é tirando alguém do debate que a gente vai fortalecer a democracia. Quem sai perdendo nessa decisão é a população. Queremos que Lula mostre seus ideais ao povo brasileiro”, completou.

Embora a exclusão de Lula do debate tenha partido de um decisão judicial, Gleisi criticou a postura da emissora de se negar a deixar o espaço destinado ao ex-presidente durante a transmissão. “A Rede Band sequer deixou a cadeira de Lula, em uma clara tentativa de também negar a sua candidatura. Estamos em processo eleitoral e vamos respeitar. Mas temos uma coisa que respeitamos mais que é o povo brasileiro”, criticou.

A presidenta do PT também aproveitou a presença do MTST no local para agradecer o apoio permanente dos movimentos sociais à liberdade de Lula e ao seu direito de ser um dos candidatos ao Palácio do Planalto: “Eu queria fazer um agradecimento ao MTST, a todos que sempre lutaram contra a retirada de direitos do ex-presidente Lula. O MTST tem sido um dos movimentos mais leais e Guilherme Boulos também tem sido muito firme e esteve ao lado de Lula por entender que, em uma democracia, é necessário ter todas as forças políticas no debate sobre o futuro do país”.

Guilherme Boulos, pré-candidato do PSOL, concorda. “Eu gostaria de estar ao lado de Lula no debate. Ele tem todo o direito de estar aqui”, disse na entrada da emissora. E, em sua primeira fala durante o debate, foi além:  “Lula deveria estar aqui, mas está preso injustamente em Curitiba, enquanto o Michel Temer está solto lá em Brasília”.

O presidente do PSOL, Juliano Medeiros, também defendeu a participação do ex-presidente no debate. “A ausência do Lula é a consumação da injustiça que tomou conta do país desde o ano passado com a sua condenação até abril deste ano com a sua prisão. Embora o nosso partido tenha candidato próprio, a participação de Lula engrandeceria o debate e seria bom para o Brasil”, concluiu.

Agência PT de Notícias