20 de agosto de 2018

Quando Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o governo em janeiro de 2003, a Bahia contava com 1.309.717 postos de trabalho. Em 2016, quando Dilma Rousseff sofreu o golpe, esse número já havia subido para 2.283.594. Isso significa um aumento de 74,35% nas vagas de trabalho formal no Estado no período de 2003 a 2016.

No total, os governos do PT criaram, na Bahia, 973.877 novos postos, gerando desenvolvimento econômico com inclusão social. No Brasil, foram 20 milhões de novas vagas.

Situação bem diferente da atual. No governo golpista de Michel Temer e do PSDB, faltam trabalho e perspectiva a 27,6 milhões de brasileiros.

Lula, em seu próximo governo, quer retomar esse ciclo virtuoso de desenvolvimento no país e na Bahia. Por isso, propõe um Plano Emergencial de Emprego, visando, principalmente, elevar a renda, ampliar o crédito e gerar novas oportunidades de trabalho. A retomada das obras públicas inacabadas em todo o país e a retomada do programa Minha Casa Minha Vida, por exemplo, irão abrir postos de trabalho e reinjetar dinheiro na economia.