10 de outubro de 2016

Enquanto o governo de Michel Temer quer congelar por 20 anos os recursos para saúde e educação, nos governos de Lula e Dilma Rousseff, a educação passou a ser ferramenta de combate às desigualdades e motor do desenvolvimento.

Com eles, o que antes era gasto tornou-se investimento. Um investimento no futuro do Brasil e dos brasileiros. 

Da creche à pós-graduação, passando pela escola em tempo integral, as mudanças foram marcantes: revolução no ensino técnico e profissional, expansão e interiorização das universidades federais, entrada dos jovens pobres no ensino superior, bolsas de estudo para as melhores universidades do mundo.

Conheça todos os avanços em educação nos últimos 13 anos no site do Brasil da Mudança: www.brasildamudanca.com.br 

Agora, todos esses avanços estão ameaçados com a PEC 241, considerada o maior ataque aos direitos sociais da história do Brasil

A PEC 241 institui o novo regime fiscal e estabelece um novo teto para o gasto público. Parece bom, mas não é. O objetivo é congelar os gastos com saúde, educação e assistência social pelos próximos 20 anos. Segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas, se as mudanças propostas pela PEC estivessem valendo desde 2015, o corte já seria de R$ 439 bilhões.