26 de outubro de 2018

No início da tarde desta sexta-feira (26/10), o jurídico da coligação O Povo Feliz de Novo entrou com representação eleitoral por fake news contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL). Algumas horas antes, Bolsonaro se utilizou de suas redes sociais para, mais uma vez, mentir sobre o suposto “kit gay” e desrespeitar a decisão já proferida pelo Tribunal Superior Eleitoral, que desmentiu a afirmação sabidamente inverídica do candidato.

A petição lembra que Bolsonaro, o verdadeiro pai do kit gay, vem repetindo essa grave mentira há anos, tendo sido já desmentido pelo TSE e, amplamente, pelos veículos de comunicação. “O prejuízo causado para o candidato Fernando Haddad é imensurável, não só no âmbito eleitoral, mas também à sua honra pessoal”, diz o documento.

As publicações mentirosas tiveram, em poucas horas, milhares de visualizações e compartilhamentos.

“Dessa forma, verifica-se que os representados proferiram grave e inconsequente ofensa, violando a honra objetiva e subjetiva dos representantes, motivo pelo qual pleiteasse a imediata remoção dos conteúdos impugnados”.

Estamos de olho: em menos de duas horas, já denunciamos o vídeo criminoso de Jair Bolsonaro. Estamos monitorando quem cria e divulga fake news para tentar influenciar o resultado das eleições – o jurídico da coligação O Povo Feliz de Novo solicitou que o Ministério Público investigue 70 pessoas.

A representação solicita a imediata retirada do ar do vídeo criminoso, no Facebook e no Twitter, além de solicitar a retirada de mais um tuíte de Bolsonaro no qual ele compartilha a fake news do kit gay.

Veja a íntegra da representação eleitoral.