18 de setembro de 2018

Durante entrevista para a rádio CBN/G1, na manhã desta terça-feira (18/09), o candidato à presidência da República Fernando Haddad respondeu à pergunta sobre qual seria a sua proposta para a redução da violência contra a mulher. Veja abaixo a resposta de Haddad:

“Olha, ai é recrudescer. Eu penso que a legislação, sobretudo a lei Maria da Penha, foi muito benéfica, mas nós temos experiência em alguns estados que funcionam muito bem. Eu não sei o nome em cada estado, mas aqui em São Paulo chamava Guardião Maria da Penha. Não basta uma legislação punitiva, porque muitos dos crimes contra a mulher são subnotificados e por uma razão muito simples: ela está dentro da casa do seu agressor. Então, às vezes a mulher subnotifica a violência que sofre. Nós fizemos uma mapeamento da violência contra a mulher e atuamos com guarda civil para ir de porta em porta das mulheres que estão sob ameaça para perguntar se as medidas cautelares estão sendo cumpridas. Portanto, ao invés de a gente esperar a mulher tomar coragem, sendo ameaçada, para nos informar de novos episódios, o Estado [tem de] ir ao seu encontro para verificar se as medidas estão sendo observadas”.